Cinema e Argumento

Os Indicados ao Oscar 2008

O post pode parece atrasado, mas foi proposital. Deixei passar um pouco essa “onda” de comentar os indicados ao prêmio da Academia pra poder produzir alguns comentários meus. Ao estilo do post sobre os indicados ao BAFTA, aí vai:

  1. Sério que teve gente que se surpreendeu com a inclusão de O Leitor em melhor filme? Não é nem pelo filme de Stephen Daldry ser sobre o Holocausto, mas só pelo fato de que o longa já tinha aparecido em duas importantes premiações (BAFTA e Globo de Ouro) nas categorias de filme e diretor já dava pra considerá-lo um candidato em potencial para uma vaga entre os cinco filmes da Academia.
  2. Mesmo precisando de audiência – afinal, a do ano passado foi vergonhosa – o prêmio não se rendeu aos blockbusters para conseguir maior público e deixou Batman – O Cavaleiro das Trevas de fora das categorias principais. Assino embaixo da exclusão, já que eu não acho que o filme seja tão merecedor para aparecer entre os cinco de melhor filme.
  3. Não esperava tanto Benjamin Button na lista. Acho que tem potencial para vencer quase todas as categorias técnicas em que aparece.
  4. Aconteceu exatamente o que eu queria: Kate Winslet foi indicada em uma categoria só. Por mais que isso tire um dos maiores suspenses da festa – já que é imensamente provável que ela vença dessa vez – parece que a classificação de Winslet foi perfeita.
  5. Simpesmente odeio as seleções com apenas três indicados na categoria de melhor canção. A categoria normalmente já é ruim na seleção com cinco nomeados e esse ano inventaram de indicar duas de Quem Quer Ser Um Milionário? (só Jai Ho bastava) e deixaram The Wrestler de fora.
  6. Michael Shannon para ator coadjuvante? Tá, ele tem boa presença no longa, mas aparece tão pouco em um longa tão sem graça que nem merecia ser lembrado. Nem os protagonistas foram…
  7. Melissa Leo e seu Rio Congelado. E o cinema independente, mais uma vez, conquista um merecido espaço na premiação.
  8. WALL-E superou Ratatouille no número de indicações e, ao que tudo indica, a Pixar deve sair da festa com mais de um simples Oscar de animação. Muito mais, arrisco a dizer.
  9. Clint Eastwood não foi indicado a nada! Eu nunca pensei que eu ia dizer isso, mas bem feito! Não merecia mesmo.
  10. Penélope Cruz foi a única menção para Vicky Cristina Barcelona. Será mesmo que o prêmio dela é uma barbada tão grande assim?
  11. A categoria de trilha sonora é uma das mais disputadas. A.R. Rahman é o único dos selecionados que é novato na lista. Todos os outros já foram indicados e mereciam ter o prêmio. Será a vez do Thomas Newman? Do James Newton Howard? Do Danny Elfman? Ou do Desplat? Todos estupendos compositores. Difícil escolher.

Road To The Oscars – Outras Apostas

Cinema e Argumento acertou todos os seus palpites nas categorias de melhor filme, ator e roteiro adaptado. Comentários em breve =)

Melhor Filme:

  1. Quem Quer Ser Um Milionário?
  2. O Curioso Caso de Benjamin Button
  3. Frost Contra Nixon – A Luta Pela Democracia
  4. Milk – A Voz da Igualdade
  5. O Leitor

Os quatro primeiros são bem óbvios e os mais cotados nas listas que andam sendo construídas por aí. Já o meu quinto escolhido, O Leitor, deve conseguir agarrar a última vaga. A Academia tem certa dívida com o Stephen Daldry (só eu acho que eles precisam se deculpar pela esnobação total de As Horas?) e o filme é sobre Holocausto, assunto que eles adoram. Depois de indicações ao Globo de Ouro e ao BAFTA de melhor filme e diretor, é bem possível que  seja lembrado aqui também. Na medidade em que Batman – O Cavaleiro das Trevas foi ignorado no Globo de Ouro e no BAFTA na categoria principal (mesmo com nomeações em diversos prêmios menores), acho meio improvável que venha a ser uma exceção aqui. Por melhor que seja o resultado do filme, ainda existe preconceito por parte da Academia para consagrar um longa desse tipo. Mesmo sendo mais politizado, realista e maduro, Batman – O Cavaleiro das Trevas ainda é um filme de quadrinhos. Sobre um herói mascarado. Sobre um vilão maluco. Sobre cenas de ação. Não tenho nada contra isso (muito pelo contrário), mas os votantes acredito que ainda tenham. É por preconceito também que WALL-E ficará de fora. Uma pena, já que é outro filme muito merecedor de uma indicação. Deixo registrado também a possibilidade significativa de Dúvida conseguir uma nomeação. Com tantos atores sendo nomeados em listas, é possível que os votantes superestimem o filme por causa do elenco. Caso de Conduta de Risco ano passado. Sem falar que Dúvida é o favorito ao Screen Actors Guild de melhor elenco. E, normalmente, quem vence a categoria de melhor elenco, fica entre os cinco finalistas da categoria principal.

Melhor Direção:

  1. Danny Boyle, por Quem Quer Ser Um Milionário?
  2. David Fincher, por O Curioso Caso de Benjamin Button
  3. Stephen Daldry, por  O Leitor
  4. Ron Howard, por Frost Contra Nixon – A Luta Pela Democracia
  5. Christopher Nolan, por Batman – O Cavaleiro das Trevas

Melhor Roteiro Original

  1. WALL-E
  2. Vicky Cristina Barcelona
  3. Milk – A Voz da Igualdade
  4. Simplesmente Feliz
  5. Queime Depois de Ler

Melhor Roteiro Adaptado

  1. Quem Quer Ser Um Milionário?
  2. O Curioso Caso de Benjamin Button
  3. Frost Contra Nixon – A Luta Pela Democracia
  4. O Leitor
  5. Dúvida

Melhor Canção Original

  1. “The Wrestler”, de O Lutador
  2. “Down To Earth”, de WALL-E
  3. I Thought I Lost You”, de Bolt – Supercão
  4. “Jai Ho”, de Slumdog Millionaire
  5. “Gran Torino”, de Gran Torino

Melhor Direção de Arte:

  1. O Curioso Caso de Benjamin Button
  2. A Troca
  3. Quem Quer Ser Um Milionário?
  4. Indiana Jones e o Reino da Caveira de Cristal
  5. Austrália

Melhor Trilha Sonora

  1. O Curioso Caso de Benjamin Button, por Alexandre Desplat
  2. Quem Quer Ser Um Milionário?, por A.R. Rahman
  3. WALL-E, por Thomas Newman
  4. Milk – A Voz da Igualdade, por Danny Elfman
  5. O Leitor, por Nico Muhly

Melhor Animação

  1. WALL-E
  2. Bolt – Supercão
  3. Valsa Com Bashir

Melhor Figurino

  1. A Duquesa
  2. A Troca
  3. Sex And The City
  4. O Curioso Caso de Benjamin Button
  5. Austrália

Melhor Maquiagem

  1. O Curioso Caso de Benjamin Button
  2. Batman – O Cavaleiro das Trevas
  3. O Leitor

Melhor Fotografia:

  1. O Curioso Caso de Benjamin Button
  2. Quem Quer Ser Um Milionário?
  3. Batman – O Cavaleiro das Trevas
  4. Foi Apenas Um Sonho
  5. O Leitor

Melhores Efeitos Especiais:

  1. Batman – O Cavaleiro das Trevas
  2. Homem de Ferro
  3. Hellboy 2 – O Exército Dourado

Melhor Montagem:

  1. Quem Quer Ser Um Milionário?
  2. O Curioso Caso de Benjamin Button
  3. Frost Contra Nixon – A Luta Pela Democracia
  4. Batman – O Cavaleiro das Trevas
  5. WALL-E

Melhor Mixagem de Som

  1. Batman – O Cavaleiro das Trevas
  2. WALL-E
  3. Quem Quer Ser Um Milionário?
  4. 007 – Quantum Of Solace
  5. Homem de Ferro

Melhor Edição de Som

  1. Batman – O Cavaleiro das Trevas
  2. WALL-E
  3. O Curioso Caso de Benjamin Button
  4. Homem de Ferro
  5. Austrália

Melhor Filme Estrangeiro:

  1. Entre Les Murs (França)
  2. The Necessities Of Life (Canadá)
  3. Everlasting Moments (Suécia)
  4. Três Macacos (Turquia)
  5. Revanche (Áustria)

Os principais concorrentes:

* de acordo com as previsões do Cinema e Argumento

QUEM QUER SER UM MILIONÁRIO: 9 indicações

O CURIOSO CASO DE BENJAMIN BUTTON 11 indicações

BATMAN – O CAVALEIRO DAS TREVAS 9 indicações

FROST CONTRA NIXON – A LUTA PELA DEMOCRACIA 5 indicações

MILK – A VOZ DA IGUALDADE 5 indicações

O LEITOR 6 indicações

WALL-E 7 indicações

Road To The Oscars – Apostas (atuações)

Os indicados de cada lista estão ordenados pela chance de indicação, sendo o primeiro, o mais provável de conseguir uma nomeação.

medoubt

anneget

katerev actsally actange

Melhor Atriz

  1. Meryl Streep, por Dúvida
  2. Anne Hathaway, por O Casamento de Rachel
  3. Kate Winslet, por Foi Apenas Um Sonho
  4. Sally Hawkins, por Simplesmente Feliz
  5. Angelina Jolie, por A Troca

As presenças de Meryl Streep, Anne Hathaway e Kate Winslet são incontestáveis. Sally Hawkins, mesmo ignorada no Screen Actors Guild, ganhou o Globo de Ouro e tem tudo para marcar presença aqui – especialmente porque o Mike Leigh é um grande diretor de atores (Brenda Blethyn? Imelda Staunton?). Uma quinta vaga, no entanto, é bem disputada. Pode ser Melissa Leo, por Rio Congelado ou Kristin Scott Thomas por Yl Y a Longtemps Que Je T’aime. Mas fico com uma escolha mais óbvia – Angelina Jolie, por A Troca. Além de ter o selo de aprovação de Clint Eastwood (que a Academia adora), Angelina é considerada injustiçada por não ter sido indicada ano passado por O Preço da Coragem.

actpel actvio actkate actmarisa actamy

Melhor Atriz Coadjuvante

  1. Penélope Cruz, por Vicky Cristina Barcelona
  2. Viola Davis, por Dúvida
  3. Kate Winslet, por O Leitor
  4. Marisa Tomei, por O Lutador
  5. Amy Adams, por Dúvida

Depois de Volver, questionamento de talento não é mais problema para Penélope Cruz, principalmente com um trabalho tão excelente como Vicky Cristina Barcelona. É a mais forte das candidatas para uma indicação. Viola Davis vem com a força de um papel pequeno, coisa que a Academia adora (Judi Dench? Ruby Dee? Kim Basinger?). Já Kate é quase certa, mas ainda existe a possibilidade de eles quererem submetê-la na categoria de protagonista por O Leitor, já que todos alegam que seu papel é o principal da história. Ela sendo indicada apenas em uma categoria, fortaleceria as chances da atriz finalmente conseguir seu primeiro Oscar. As outras indicadas já não possuem tanto mistério – tanto Marisa Tomei quanto Amy Adams (que, por alguma razão, é desacreditada por muitos) possivelmente conseguirão suas vagas. Ainda existe a chance de alguma coadjuvante de O Casamento de Rachel roubar uma vaga.

actmickey actlangella actpenn actpitt actjenk

Melhor Ator

  1. Mickey Rourke, por O Lutador
  2. Frank Langella, por Frost Contra Nixon – A Luta Pela Democracia
  3. Sean Penn, por Milk – A Voz da Igualdade
  4. Brad Pitt, por O Curioso Caso de Benjamin Button
  5. Richard Jenkins, por The Visitor

Uma categoria particularmente difícil de prever, principalmente porque estamos longe de ter um favorito e os candidatos não são tão interessantes quanto as candidatas femininas. Rourke, vencedor do Globo de Ouro; Langella, considerado um dos trunfos de seu filme; Sean Penn, um excelente ator que se deu bem em seu filme. Todos eles têm grandes chances de aparecerem na lista do dia 22 de fevereiro. Brad Pitt, outra figura que muita gente queria que tivesse sido indicado ano passado (por O Assassinato de Jesse James…) parece ser uma barbada, mas não é muito sensato considerar isso, já que a Academia ainda sim vitima atores com o preconceito que tem por eles. Uma última vaga ficaria entre o independente Richard Jenkins, elogiado por The Visitor e Clint Eastwood, que parece ter feito Gran Torino almejando uma nomeação aqui. Como não gostei do filme e Eastwood não faz nada diferente nele, aposto em uma interpretação que difere da obviedade. Fico com Jenkins.

actheath acthoffman actdown actralph actbrolin

Melhor Ator Coadjuvante

  1. Heath Ledger, por Batman – O Cavaleiro das Trevas
  2. Philip Seymour Hoffman, por Dúvida
  3. Robert Downey Jr., por Trovão Tropical
  4. Ralph Fiennes, por A Duquesa
  5. Josh Brolin, por Milk – A Voz da Igualdade

Nem vou comentar a indicação de Heath Ledger. O Oscar vai sucumbir completamente ao desprezo de quase todos os cinéfilo se o ator não for indicado. Hoffman, já premiado na Academia, é outro nome certo na lista. Mesmo que por um filme de gosto questionável para os votantes, Robert Downey Jr. deve chegar a uma nomeação. Ralph Fiennes foi elogiado por seus desempenhos esse ano, e deve conseguir chegar na lista com A Duquesa e não com O Leitor como o esperado. A última vaga possivelmente será para um dos coadjuvantes de Milk – A Voz da Igualdade, com mais chances para Josh Brolin, por ter sido o protagonista do grande vencedor do Oscar do ano passado.

Road To The Oscars – Danny Elfman

Danny Elfman, por Milk – A Voz da Igualdade

Nunca fui grande fã dos trabalhos de Danny Elfman. Essa trilha de Milk – A Voz da Igualdade é bem passageira, acabando num piscar de olhos. Isso acontece por ela ter uma grande qualidade. Não me lembro da última vez o compositor me agradou tanto – talvez com suas composições para o seriado Desperate Housewives. O trabalho de Elfman é relativamente curto em nessa trilha de Milk, com algumas faixas bem curtas (como The Kiss ou Weepy Donuts). Estranhamente algumas delas conquistam mais que as faixais mais compridas (Gay Rights Now! ou Politics Is Theater). Contudo, o balanceamento de qualidade é visível. Na corrida pela estatueta dourada, torço para uma indicação para o Danny Elfman. Não é a melhor trilha da temporada (O Curioso Caso de Benjamin Button, de Alexandre Desplat é), mas com certeza merece ser conhecida.

Potencial para indicação ao Oscar:


Os indicados ao BAFTA

Finalmente foram divulgados os indicados ao BAFTA, um dos meus prêmios favoritos. A lista não tem maiores surpresas, a não ser o esquecimento de Batman – O Cavaleiro das Trevas (de novo?!) e o excesso de indicações para A Troca, que foi lembrado até na categoria de direção. Abaixo, breves comentários sobre a lista. Os vencedores serão divulgados dia oito de fevreriro. Para conferir os indicados, na lista completa do prêmio, clique aqui.

  1. E novamente Batman – O Cavaleiro das Trevas foi esquecido. Depois de ter sido esnobado no Globo de Ouro, o filme de Christopher Nolan só conseguiu indicações técnicas no BAFTA. Será mesmo que consegue chegar aos finalistas do Oscar?
  2. Também repetindo o efeito da sua dupla vitória no Globo de Ouro, Kate Winslet recebe dupla-indicação… Na mesma categoria! Tenho até medo do que o Oscar está reservando pra ela. Ainda fico com a opinião de que ela tem que ter apenas uma indicação, porque assim ganha o prêmio da Academia de uma vez! Com isso, abre espaço para a vitória de Meryl Streep no prêmio inglês. Ou até mesmo da Kristin Scott Thomas.
  3. Milk – A Voz da Igualdade ganha mais forças com sua indicação na categoria principal, mas Gus Van Sant não foi lembrado.
  4. Todo mundo sabe que o Dev Patel (Slumdog Millionaire) não vai ser lembrado como ator principal no Oscar, mas aqui a sua classificação na categoria foi perfeita. Afinal, ele é o protagonista.
  5. Quem também recebe indicação dupla é… Brad Pitt! Além de ser lembrado por O Curioso Caso de Benjamin Button, foi lembrado por Queime Depois de Ler.
  6. Tilda Swinton como melhor atriz coadjuvante por Queime Depois de Ler? Exagero, hein.
  7. Amy Adams se fortalece na categoria de atriz coadjuvante enquanto sua companheira Viola Davis foi esquecida. Adams está cada vez mais perto de uma indicação ao Oscar.
  8. Muita gente pode achar a indicação de Mamma Mia! para melhor filme britânico um exagero. O filme pode até não merecer, mas diante do estrondoso sucesso do filme na Inglaterra, era de se esperar essa indicação. Sem contar que o longa de Phyllida Lloyd foi indicado para trilha sonora também. Que coisa engraçada!
  9. Sério, pra quê tantas indicações para A Troca??? Direção? Montagem? Roteiro Original? Som? Era só o que me faltava ver o Clint Eastwood ser indicado ao Oscar de diretor por um trabalho tão sem personalidade dele como esse. Falando em Clint, foi esquecido – de novo – por Gran Torino
  10. Uma surpresa por der O Leitor, que conseguiu indicações para filme, atriz, roteiro adaptado, fotografia e direção.
  11. Se Batman – O Cavaleiro das Trevas foi esquecido, WALL-E também foi. Conseguiu apenas três indicações. Mas ainda acredito no filme.
  12. E provavelmente a Penélope Cruz vence dessa vez, né?
  13. Não tem jeito, Slumdog Millionaire é o favorito absoluto, enquanto O Curioso Caso de Benjamin Button deve fazer apenas nome nas festas.

A Noite do Globo de Ouro

Até então Kate Winslet estava completamente sem rumo nas premiações. E continua. Quando ela subiu ao palco para receber o prêmio de melhor atriz coadjuvante por O Leitor, pensei que finalmente um objetivo tinha se firmado na campanha de Kate para o Oscar. Pensei que, a partir daquele momento, ela se consolidaria como a favorita nessa categoria. O problema é que ela venceu também na categoria de melhor atriz dramática, o que embaralha mais ainda a cabeça dos votantes da Academia. Se a indicação-dupla se repetir dia 22 de fevereiro, no anúncio dos indicados ao Oscar, Kate continua sem rumo – uma vez que é quase impossível que ela vença nas duas categorias no maior prêmio do cinema. Não acho que ela seja tão merecedora de um Oscar de atriz; não dessa vez. Foi Apenas Um Sonho é um longa bem mediano e está longe de representar um dos melhores momentos da atriz, apesar da ótima atuação. Mas devo confessar que fiquei incrivelmente feliz pela consagração – convenhamos, muito tardia – dessa estrela de quinta grandeza que alcançou um nível espetacular da sua carreira. Minha querida e favorita Meryl saiu de mãos vazias (coitada, nem teve destaque), mas só a dupla vitória de Kate já me deixou satisfeito.

A festa, no geral, foi boa por causa da ansiedade pelos prêmios. Não teve nenhum discurso muito especial – com excessão do segundo de Kate, onde ela estava visualmente muito emocionada – e tudo aconteceu conforme o planejado. Acho que depois de muitos anos errando o vencedor do Oscar, o Globo de Ouro finalmente vai acertar. Slumdog Millionaire se consagrou totalmente – deixando o pobre Curioso Caso de Benjamin Button sem um mísero prêmio – e só não vence o Oscar se der um surto mental na cabeça dos votantes. O que costuma acontecer com certa frequência. Um prêmio inutil foi o de Colin Farrel, já que eu acho muito improvável que ele chegue muito longe nessa temporada de premiações. O resto foi previsível – Ledger como coadjuvante, Mickey Rourke como ator em drama (mas precisava aparentar tão louco assim?), The Wrestler como canção, Vicky Cristina Barcelona como melhor filme comédia/musical e Slumdog Millionaire vencendo filme dramático, roteiro, trilha sonora e diretor.

Na parte da televisão, no entanto, a distribuição de prêmios foi mais previsível. 30 Rock repetiu o feito do Emmy e se consagrou nas categorias de melhor série, ator e atriz comédia/musical. Foi legal, mesmo que de novo, ver a engraçada turma do seriado recebendo esses tão merecidos prêmios. Pensei até que o Globo de Ouro ia deixar a minissérie John Adams de lado e premiar outros veteranos que estavam concorrendo, como Susan Sarandon, Judi Dench, Shirley McLaine e Kevin Spacey, mas a premiação seguiu o esquema e deu os prêmios de minissérie, atriz, ator e ator coadjuvante para a produção da HBO. A HBO, aliás, alcançou um notável número de prêmios, e alguns até mesmo questionáveis. Como o da Anna Paquin, por exemplo. Ela está ótima em True Blood, mas não era merecedora de um prêmio tão importante como esse. Acho inclusive que a Sally Field merecia mais. E coitado do Michael C. Hall, hein? Mais um ano perdendo por Dexter. E perder logo pro Gabriel Byrne, que eu acho que é ofuscado pelos coadjuvantes em In Treatment. Sem falar que ele nem foi na festa. E como faltou gente nessa festa!

Apostas Para o Globo de Ouro

Post atualizado com as duas categorias que haviam sido esquecidas: Atriz Coadjuvante e Ator Coadjuvante

Ano passado nem festa o Globo de Ouro teve, e confesso que não senti muita falta. Claro que é sempre ótimo ver toda aquela badalação e artistas subindo no palco, mas o Globo de Ouro sempre tem a forte característica de ser uma premiação tediosa. Sem falar que normalmente não acerta os vencedores do Oscar (e em alguns casos nem os indicados). Esse ano a premiação parece ter voltado aos seus bons tempos. O que resta saber é se seus vencedores vão manter a boa distribuição de sua lista de nomeados. Abaixo, minhas apostas, com comentário em cada categoria.

Melhor Filme Drama

O Curioso Caso de Benjamin Button

Alt: Slumdog Millionaire

Nos últimos tempos essa categoria vem errando bastante o vencedor principal do Oscar, simplesmente pelo fato de consagrar aquela produção que desde o início é considerada favorita. O problema é que O Curioso Caso de Benjamin Button já não é tão favorito como antes – visto que Slumdog Millionaire está conquistando muito mais prêmios. Desejo e Reparação, Babel e O Segredo de Brokeback Mountain. Todos eles tinham cara de Oscar e não venceram o prêmio da Academia. O Curioso Caso de Benjamin Button tem o mesmo perfil e por isso acredito que novamente o Globo de Ouro premiará um filme desse tipo. Não pode deixar de se desconsiderar, claro, outro favorito da temporada, o próprio Slumdog Millionaire.

Melhor Filme Comédia/Musical

Vicky Cristina Barcelona

Alt: Queime Depois de Ler

O Globo de Ouro gostou mesmo de Vicky Cristina Barcelona. Chegou até o ponto de indicar uma atriz inesperada mas também merecedora (Rebeca Hall). Campeão de indicações no setor dos filmes de comédia/musical, o mais novo trabalho de Woody Allen vem com grande força para vencer o prêmio. E não é pra menos, fazia bastante tempo que o diretor não trabalhava a suas origens – filmes sobre relacionamentos que misturavam diálogos inteligentes, comédia, drama e romance. Vicky Cristina Barcelona consegue fazer isso com muito charme. Só a sua estrutura excessivamente convencional pode atrapalhar a sua vitória e dar espaço para  Queime Depois de Ler. Afinal, o prêmio não consagrou os irmãos Coen ano passado… Em escala bem menor, mas nem por isso impossível, Mamma Mia! que assustadoramente se tornou um fenômeno inesperado de bilheteria no mundo inteiro.

Melhor Atriz Drama

Kate Winslet, por Foi Apenas Um Sonho

Alt: Meryl Streep, por Dúvida

É uma verdade absoluta e que todo mundo concorda: Kate Winslet já merece um prêmio significativo faz horas. Se já é difícil acreditar que ela não tem Oscar, mais incompreensível ainda é ver que ela não tem um mísero Globo de Ouro. Mesmo que eu acredite que ela saia de mãos vazias novamente do Kodak Theater esse ano, vai ser bem difícil o Globo de Ouro ignorá-la. É difícil saber em que categoria ela vai se sair vencedora, mas eu acho que a mais provável é em Atriz Drama. Tem a concorrência de Meryl Streep (favorita e queridinha do prêmio) e o forte nome de Anne Hathaway, mas acho que ambas não têm motivos para serem premiadas dessa vez. Streep por ser uma veterana na categoria dramática e Hathaway por ainda não ser um nome sólido. Por mais que Foi Apenas Um Sonho tenha sido solenemente ignorado nas últimas listas divulgadas por aí, é sempre o nome de Winslet que faz com que o filme seja lembrado. E o fracasso do longa não deve ser empecilho para a atriz se sair vencedora.

Melhor Atriz Comédia/Musical

Meryl Streep, por Mamma Mia!

Alt: Sally Hawkins, por Simplesmente Feliz

Desde quando acabei de assistir Mamma Mia! tive a certeza de que Meryl Streep seria forte concorrente ao Globo de Ouro nessa categoria. É certo que as duas indicações da atriz podem fazer com que ela saia sem nada, mas acho meio difícil que o Globo de Ouro deixe de premiar um trabalho tão descontraído dela como esse. Recentemente premiada nessa categoria por O Diabo Veste Prada, Streep tem tudo pra ganhar o prêmio aqui. Sally Hawkins – uma das favoritas – tem um perfil muito independente para vencer, principalmente em uma festa tão comercial e que ilumina os artistas mais em alta da temporada. É por não conseguir ganhar por Dúvida que ela terá também aqui um prêmio de consolação. Cheia de prêmios ou não, acredito que Streep não poderia deixar de ser celebrada nesse ano. E o sucesso comercial de Mamma Mia! só impulsiona a sua vitória.

Melhor Ator Drama

Mickey Rourke, por O Lutador

Alt: Sean Penn, por Milk – A Voz da Igualdade

Di Caprio já tem o seu Globo de Ouro (por O Aviador), Brad Pitt apesar de indicado não tem forças e Frank Langella parece ser o azarão da categoria. O prêmio fica entre Sean Penn e Mickey Rourke. Penn já tem o prêmio em casa (e vale citar também que Milk foi bastante ignorado na lista), o que abre bastante espaço para uma provável e não-surpreendente vitória de Mickey Rourke, por  O Lutador. Não há muito o que comentar por aqui, uma vez que a concorrência não é tão grande e os candidatos nem são tão interessantes aqui. No final das contas, independente do vencedor, não teremos maiores surpresas.

Melhor Ator Comédia/Musical

Javier Bardem, por Vicky Cristina Barcelona

Alt: Dustin Hoffman, por Last Chance Harvey

Javier Bardem já venceu ano passado por Onde Os Fracos Não Têm Vez, mas é bem provável que vença de novo esse ano. Com uma naturalidade de impressionar e um papel muito bem conduzido, Bardem consegue ficar no mesmo nível (e, por muitas vezes, até bem melhor) de suas belas colegas de Vicky Cristina Barcelona. A concorrência não é grande, e Bardem está em mais um momento iluminado de sua carreira. Dos outros concorrentes, quem também pode levar – em chance menor – é Dustin Hoffman por Last Chance Harvey. Todo mundo sabe que o Globo de Ouro tem uma certa queda por atores veteranos e costuma premiá-los em momentos bem inusitados. Quem sabe isso não ocorre aqui também?

Melhor Atriz Coadjuvante

Penélope Cruz, por Vicky Cristina Barcelona

Alt: Kate Winslet, por O Leitor

Recordista de prêmios da temporada e merecedora de todos os elogios que lhe são dados, Panélope Cruz vem com força total para ganhar na categoria. Como possivelmente não tenha tanto fôlego para ser premiada com o Oscar (que, possivelmente, deve ir para Viola Davis ou Kate Winslet), deve ser lembrada aqui, exatamente por ter o perfil que o Globo de Ouro aprecia. Sua maior concorrente é Kate Winset, por O Leitor – se ela não vencer como atriz em drama, deve ter aqui seu prêmio de consolação. Mas em primeira análise, é Penélope que dispara, merecidamente, como grande favorita.

Melhor Ator Coadjuvante

Heath Ledger, por Batman – O Cavaleiro das Trevas

Alt: Philip Seymour Hoffman, por Dúvida

O falecido Heath Ledger já tinha sua vitória cantada por parte do público antes mesmo de sua indicação se confirmar nos prêmios. O fato é que o tempo passou e nenhum candidato em potencial apareceu. Legder, então, confirma-se como o favorito absoluto para o prêmio. Absoluto no sentido literal da palavra. E como já foi mencionado pelo Vinícius em um comentário aqui no blog, ficaria muito feio se não premiarem ele.

Outras Categorias:

  • Filme estrangeiro: Gomorra
  • Animação: WALL-E
  • Trilha sonora: O Curioso Caso de Benjamin Button
  • Canção original: “The Wrestler”
  • Roteiro: Slumdog Millionaire
  • Direção: Danny Boyle

Road to the Oscars – Heath Ledger

Heath Ledger, por Batman – O Cavaleiro das Trevas

Tá certo, todo mundo já cantava a vitória do Heath Ledger antes mesmo das épocas de premiação. Eu era meio averso a esse tipo de atitude, mas agora que nenhum real adversário apareceu para combater Ledger, a consagração póstuma do seu nome já é certa – e merecida. Num ano em que o setor das atuações nas premiações é tão incerto (e fraca, principalmente entre os masculinos coadjuvantes), Ledger é a única certeza. Surpreendente e marcante no papel do insano Coringa, o ator se confirma como o vencedor absoluto em sua categoria nas diversas listas de prêmios que estão sendo divulgadas.

Potencial para indicação ao Oscar:


Road to the Oscars – Alexandre Desplat

benjaminsound1

Alexandre Desplat, por O Curioso Caso de Benjamin Button

Alexandre Desplat é um injustiçado. Ganhou o Globo de Ouro por O Despertar de Uma Paixão e foi indicado ao Oscar por A Rainha. Perdeu o Oscar, injustamente, para Gustavo Santaolalla (que vencia o prêmio pela segunda vez consecutiva pela não-especial trilha de Babel). Desde então, Desplat caiu um pouco na sua qualidade, mas retorna esse ano com a bela trilha sonora de O Curioso Caso de Benjamin Button. É muito provável que o compositor volte para a festa de premiação, especialmente porque realizou um grande trabalho nessa trilha. Apresentando desde as suas conhecidas características até arranjos bem originais, Desplat tem nesse disco a certeza de que voltará a ser alvo de grandes elogios. A trilha do filme, então, é o setor técnico que mais tem chance de conseguir uma indicação – exatamente por ser um grande trabalho.

Potencial para indicação ao Oscar:


Road to the Oscars – Penélope Cruz

Penélope Cruz, por Vicky Cristina Barcelona

Se Heath Ledger está levando todas como coadjuvante em Batman – O Cavaleiro das Trevas, Penélope Cruz não fica atrás em sua categoria por sua atuação em Vicky Cristina Barcelona. Desde que fez o ótimo Volver, Cruz vem mostrando grande talento e o novo filme do Woody Allen representa o ápice de seu sucesso (mas não necessariamente sua melhor interpretação). É verdade que existe uma certa Viola Davis (por Dúvida) em seu caminho, mas Penélope já é nome fácil na lista que será divulgada pela Academia. Nada mais merecido, a atriz espanhola é a grande estrela do filme e rouba completamente a cena nos poucos minutos que aparece. Agora se ela leva ou não, já é outra história; que será discutida mais tarde, depois que os indicados forem revelados.

Potencial para indicação ao Oscar:

Road to the Oscars – Thomas Newman

revol

Thomas Newman, por Foi Apenas Um Sonho

Fiquei bastante decepcionado ao constatar que a trilha de Foi Apenas Um Sonho é bem convencional. Esperava-se mais do excelente compositor Thomas Newman, que nesse disco apenas reciclou o seu estilo melancólico (magistralmente já apresentado em lindas trilhas como a de Beleza Americana e Six Feet Under) em uma composição não muito inspirada. Antes eu levava em consideração que Newman podia perder o seu Oscar (é, ele não tem ainda!) por causa da concorrência com ele mesmo, já que ele ainda tem o seu trabalho em WALL-E. Bobagem. Duvido muito que ele seja lembrado por Foi Apenas Um Sonho e não por seu trabalho no último filme da Pixar. A trilha dele em WALL-E é muito mais original, inspirada, contagiante. Se ele for lembrado pelo filme de Sam Mendes, vai ser por causa do prestígio do filme. A trilha em si não merece. Newman tem que ser lembrado é por WALL-E!

Potencial para indicação ao Oscar:


Road to the Oscars – Meryl Streep.

Meryl Streep, por Dúvida

Até um certo tempo atrás, ela era a favorita para o prêmio da Academia. Mas, se formos levar em consideração as últimas listas publicadas por alguns prêmios, Streep só deve preencher listas nas premiações mais importantes. Seu favoritismo caiu bastante e hoje seu nome é um dos menos cogitados para vencer prêmios significativos. Uma pena, pois já está na hora de ela ser celebrada novamente, principalmente porque ela não é uma senhora “do passado”. Sempre atual, surpreendente e arrasadora. Quem sabe o afeto do Globo de Ouro por ela não reverte essa situação?

Potencial para indicação ao Oscar:


%d blogueiros gostam disto: