Cinema e Argumento

Os vencedores do Screen Actors Guild Awards 2020

O elenco de Parasita triunfa no Screen Actors Guild Awards 2020: filme de Bong Joon-ho faz história como a primeira produção estrangeira a faturar o prêmio principal do sindicato de atores.

Recheado de surpresas no segmento de séries, minisséries e telefilmes (elenco em drama para The Crown, atriz em drama para Jennifer Aniston, ator em minissérie para Sam Rockwell), o Screen Actors Guild Awards, por outro lado, foi um marasmo na categoria de cinema ao carimbar de uma vez por todas o favoritismo absoluto de Renée Zellweger (Judy: Muito Além do Arco-Íris), Joaquin Phoenix (Coringa), Laura Dern (História de Um Casamento) e Brad Pitt (Era Uma Vez Em… Hollywood), todos rumo aos seus respectivos Oscars de interpretação no dia 9 de fevereiro. Se antes havia a suspeita, agora há a certeza: 2020 repetirá toda a cansativa previsibilidade do ano de 2018, quando Frances McDormand (Três Anúncios Para Um Crime), Gary Oldman (O Destino de Uma Nação), Allison Janney (Eu, Tonya) e Sam Rockwell (Três Anúncios Para Um Crime) dominaram a temporada sem deixar margem para qualquer competição.

O SAG só não foi foi completamente tedioso do ponto de vista cinematográfica porque todos os discursos foram bons e porque o melhor ficou guardado para o final: a vitória histórica de Parasita em melhor elenco. O excepcional filme de Bong Joon-ho foi a primeira produção em língua não-inglesa a faturar a categoria e apenas a quarta a vencer sem indicações individuais para seus atores (as outras foram Pantera Negra, O Senhor dos Anéis: O Retorno do Rei e Ou Tudo Ou Nada). Resta saber o que a vitória significa para a temporada: tanto pode ser Hollywood finalmente quebrando seu preconceito com produções estrangeiras com o significativo aval de um eleitorado importante como o dos atores quanto se tratar de um plano B para categoria que, no ano passado, premiou Pantera Negra e que não tem sequer indicado os vencedores do Oscar, como A Forma da ÁguaGreen Book. Estatísticas à parte, o prêmio foi justíssimo, além de ser o tipo de consagração que será para sempre referenciada.

Confira abaixo a lista completa de vencedores:

CINEMA

MELHOR ELENCO: Parasita
MELHOR ATRIZ: Renée Zellweger (Judy: Muito Além do Arco-Íris)

MELHOR ATOR: Joaquin Phoenix (Coringa)
MELHOR ATRIZ COADJUVANTE: Laura Dern (História de Um Casamento)
MELHOR ATOR COADJUVANTE: Brad Pitt (Era Uma Vez Em… Hollywood)

SÉRIES, MINISSÉRIES E TELEFILMES

MELHOR ELENCO – DRAMA: The Crown
MELHOR ELENCO – COMÉDIA: The Marvelous Mrs. Maisel
MELHOR ATRIZ – DRAMA: Jennifer Aniston (The Morning Show)

MELHOR ATOR – DRAMA: Peter Dinklage (Game of Thrones)
MELHOR ATRIZ – COMÉDIA: Phoebe Waller-Bridge (Fleabag)
MELHOR ATOR – COMÉDIA: Tony Shalhoub (The Marvelous Mrs. Maisel)

MELHOR ATRIZ – MINISSÉRIE/TELEFILME: Michelle Williams (Fosse/Verdon)
MELHOR ATOR – MINISSÉRIE/TELEFILME: Sam Rockwell (Fosse/Verdon)

Apostas para o Screen Actors Guild Awards 2020

A temporada de prêmios televisionados começou no último dia 5 com o Globo de Ouro, seguiu no dia 12 com mais uma cerimônia esquizofrênica do irrelevante Critics’ Choice Awards e agora chega neste domingo (19) ao Screen Actors Guild Awards, premiação que, nos últimos anos, tem perdido parte de seu impacto como termômetro de previsão ao Oscar (A Forma da Água e Green Book foram consagrados pela Academia, mas sequer indicados ao SAG de melhor elenco). Sem 1917 disputando a categoria de melhor elenco (estaria mais uma vez o vencedor do Oscar ausente no SAG?), é de se esperar que Era Uma Vez Em… Hollywood siga com o seu bom momento na temporada, levando para casa as estatuetas de melhor elenco e ator coadjuvante. Nos prêmios individuais, o jogo já parece garantido para Renée Zellweger (Judy), Joaquin Phoenix (Coringa), Laura Dern (História de Um Casamento) e Brad Pitt (Era Uma Vez Em… Hollywood). Para os brasileiros, uma má notícia: dessa vez, o SAG não terá transmissão em rede nacional. Abaixo, compartilho com vocês alguns rápidos palpites.

CINEMA

MELHOR ELENCOEra Uma Vez Em… Hollywood / alt: Parasita
MELHOR ATRIZ: Renée Zellweger (Judy: Muito Além do Arco-Íris) / alt: Lupita Nyong’o (Nós)

MELHOR ATOR: Joaquin Phoenix (Coringa) / alt: Adam Driver (História de Um Casamento)
MELHOR ATRIZ COADJUVANTE: Laura Dern (História de Um Casamento) / alt: Jennifer Lopez (As Golpistas)
MELHOR ATOR COADJUVANTE: Brad Pitt (Era Uma Vez Em… Hollywood) / alt: Al Pacino (O Irlandês)

SÉRIES, MINISSÉRIES E TELEFILMES

MELHOR ELENCO – DRAMAGame of Thrones / alt: Big Little Lies
MELHOR ELENCO – COMÉDIAFleabag / alt: The Marvelous Mrs. Maisel
MELHOR ATRIZ – DRAMA: Olivia Colman (The Crown) / alt: Jennifer Aniston (The Morning Show)

MELHOR ATOR – DRAMA: Peter Dinklage (Game of Thrones) / alt: Steve Carell (The Morning Show)
MELHOR ATRIZ – COMÉDIA: Phoebe Waller-Bridge (Fleabag) / alt: Rachel Brosnahan (The Marvelous Mrs. Maisel)
MELHOR ATOR – COMÉDIA: Andrew Scott (Fleabag) / alt: Tony Shalhoub (The Marvelous Mrs. Maisel)

MELHOR ATRIZ – MINISSÉRIE/TELEFILME: Michelle Williams (Fosse/Verdon) / alt: Patricia Arquette (The Act)
MELHOR ATOR – MINISSÉRIE/TELEFILME: Jharrel Jerome (When They See Us) / alt: Russell Crowe (The Loudest Voice)

Os indicados ao Oscar 2020

Coringa é o filme recordista de indicações ao Oscar 2020. Longa de Todd Phillips estrelado por Joaquin Phoenix concorre em 11 categorias.

Estatisticamente, o Oscar, nos últimos anos, foi um prêmio muito mais autêntico e espontâneo em comparação a qualquer outro da temporada. Além de ter bancado sozinha indicações como a de Marion Cotillard (Dois Dias, Uma Noite) e Charlotte Rampling (45 Anos), a Academia, que não está isenta de falhas, frequentemente desviou a rota de cerimônias que consagravam sempre o mesmo filme. Quando Boyhood reinava soberano, o Oscar optou por Birdman. No ano de Três Anúncios Para Um Crime, a Academia premiou A Forma da Água. E há também, claro, a clássica vitória de Moonlight em cima de La La Land.

Tendo em vista tudo isso, era de se esperar que a lista de indicados revelada hoje (13) garimpasse algumas novidades. O que aconteceu foi apenas um ajuste aqui e outro ali em possíveis indicações já consideradas desde sempre. Não é inesperado, por exemplo, Kathy Bates (O Caso Richard Jewell) e Florence Pugh (Adoráveis Mulheres) figurarem entre as atrizes coadjuvante em detrimento de Jennifer Lopez (As Golpistas), uma das ausências mais surpreendentes do ano, ainda que justa, pois ela é tão protagonista quanto Constance Wu no longa de Lorena Scafaria (é preciso terminar com a cultura de fraudes de categoria).

Mesmo a indicação de Antonio Banderas (Dor e Glória) em melhor ator não é uma raridade: o Globo de Ouro e o Critics’ Choice já haviam indicado o espanhol, que, após ter faturado o prêmio de melhor ator em Cannes, foi amplamente elogiado mundo afora. Igualmente previsível era o Oscar seguir a mesma batida de prêmios como o BAFTA no que se refere à celebração de cineastas mulheres e atores negros. Indicando apenas uma atriz negra em 20 vagas nos segmentos de atuações, a Academia segue com dificuldades em selecionar qualquer nome que não seja branco e estadunidense. Não é desmerecer quem está indicado, mas sim lançar um importante olhar para aqueles que não foram (e que também fazem trabalhos dignos de lembrança).

Talvez o movimento mais curioso da seleção 2020 seja o amor incondicional por Coringa. Justiça seja feita: das 11 indicações que o filme de Todd Phillips recebeu, algumas são injustificadas, como figurino, maquiagem, edição de som e mixagem de som. Com isso, voltamos à discussão da indústria olhar somente para os mesmos filmes e não procurar algo além das fronteiras da zona de conforto. Por outro lado, a liderança de Coringa representa algo muito maior: uma sinalização de que, talvez, o Oscar esteja mais aberto aos sucessos de bilheteria que representam o ganha-pão da indústria Hollywoodiana. Sucessos que a Academia sempre insiste em minimizar, premiando, por exemplo, Guerra ao Terror no lugar de Avatar e Spotlight ao invés de Mad Max: Estrada da Fúria.

Para os brasileiros, uma alegria imensa: estamos de volta na disputa, agora na categoria de melhor documentário. Citado pela imprensa internacional desde a época de seu lançamento, Democracia em Vertigem, de Petra Costa, investiga os bastidores do golpe parlamentar de 2016 que tirou a então presidenta Dilma Rousseff do poder. Está disponível para ser assistido na Netflix. A indicação é um belo presente para os anos tão conturbados que temos vivido no cenário político nacional. Se Democracia conquista ou não a estatueta, é outra história. Saberemos, aliás, no dia 9 de fevereiro, quando o Oscar revela sua lista de vencedores. Por enquanto, fiquem abaixo com a lista completa de indicados:

MELHOR FILME
1917
Adoráveis Mulheres
Coringa
Era Uma Vez Em… Hollywood
Ford vs Ferrari
História de Um Casamento
O Irlandês
Jojo Rabbit
Parasita

MELHOR ATRIZ
Charlize Theron (O Escândalo)
Cynthia Erivo (Harriet)
Renée Zellweger (Judy: Muito Além do Arco-Íris)
Saoirse Ronan (Adoráveis Mulheres)
Scarlett Johansson (História de Um Casamento)

MELHOR ATOR
Adam Driver (História de Um Casamento)
Antonio Banderas (Dor e Glória)
Joaquin Phoenix (Coringa)
Jonathan Price (Dois Papas)
Leonardo DiCaprio (Era Uma Vez Em… Hollywood)

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE
Florence Pugh (Adoráveis Mulheres)
Kathy Bates (O Caso Richard Jewell)
Laura Dern (História de Um Casamento)
Margot Robbie (O Escândalo)
Scarlett Johansson (Jojo Rabbit)

MELHOR ATOR COADJUVANTE
Al Pacino (O Irlandês)
Anthony Hopkins (Dois Papas)
Brad Pitt (Era Uma Vez Em… Hollywood)
Joe Pesci (O Irlandês)
Tom Hanks (Um Lindo Dia na Vizinhança)

MELHOR ROTEIRO ORIGINAL
1917
Entre Facas e Segredos
Era Uma Vez Em… Hollywood
História de Um Casamento
Parasita

MELHOR ROTEIRO ADAPTADO
Adoráveis Mulheres
Coringa
Dois Papas
O Irlandês
Jojo Rabbit

MELHOR FILME INTERNACIONAL
Corpus Christi (Polônia)
Dor e Glória (Espanha)
Honeyland (Macedônia)
Os Miseráveis (França)
Parasite (Coreia do Sul)

MELHOR ANIMAÇÃO
Como Treinar Seu Dragão 3
Klaus
Link Perdido
Perdi Meu Corpo

Toy Story 4

MELHOR DOCUMENTÁRIO
The Cave
Democracia em Vertigem
Honeyland
Indústria Americana
For Sama

MELHOR FOTOGRAFIA
1917
Coringa
Era Uma Vez Em… Hollywood
O Farol
O Irlandês

MELHOR MONTAGEM
Coringa
Ford vs Ferrari
O Irlandês
Jojo Rabbit
Parasita

MELHOR DESIGN DE PRODUÇÃO
1917

Era Uma Vez Em… Hollywood
O Irlandês
Jojo Rabbit
Parasita

MELHOR FIGURINO
Adoráveis Mulheres
Coringa
Era Uma Vez Em… Hollywood
O Irlandês
Jojo Rabbit

MELHOR TRILHA SONORA
1917
Adoráveis Mulheres
Coringa
História de Um Casamento
Star Wars: A Ascensão Skywalker

MELHOR CANÇÃO ORIGINAL
“I Can’t Let You Throw Yourself Away” (Toy Story 4)

“(I’m Gonna) Love Me Again” (Rocketman)
“I’m Standing With You” (Superação: O Milagre da Fé)
“Into the Unknown” (Frozen 2)
“Stand Up” (Harriet)

MELHOR EDIÇÃO DE SOM
1917
Coringa
Era Uma Vez Em… Hollywood
Ford vs Ferrari
Star Wars: A Ascensão Skywalker

MELHOR MIXAGEM DE SOM
1917
Ad Astra: Rumo às Estrelas
Coringa
Era Uma Vez Em… Hollywood
Ford vs Ferrari

MELHOR MAQUIAGEM E PENTEADOS
1917
Coringa
O Escândalo
Judy: Muito Além do Arco-Íris
Malévola: Dona do Mal

MELHORES EFEITOS VISUAIS
1917
O Irlandês
O Rei Leão
Star Wars: A Ascensão Skywalker
Vingadores: Ultimato

MELHOR CURTA METRAGEM
Brotherhood

Nefta Footbal Club
The Neighbor’s Window
Saria
A Sister

MELHOR CURTA-METRAGEM (DOCUMENTÁRIO)
In the Absence
Learning to Skateboard in a Warzone (If You’re a Girl)
Life Overtakes Me
St. Louis Superman
Walk Run Cha-Cha

MELHOR CURTA-METRAGEM (ANIMAÇÃO)
Dcera (Daughter)
Hair Love
Kitbull
Memorable
Sister

Os indicados ao BAFTA 2020

Coringa lidera a lista do BAFTA 2020 com 11 indicações. Cerimônia acontece no dia 2 de fevereiro.

Já expressei em diversas ocasiões o quanto gosto do BAFTA, uma premiação que, durante muitos anos, foi autêntica e surpreendente (para quem duvida, há provas cabais aqui e aqui), mas, com a lista divulgada hoje (07) fica difícil defender a academia britânica, mesmo com muito esforço. Não é de hoje que o BAFTA vem se descaracterizando, tentando, assim como tantas outras premiações, ser somente mais uma prévia do Oscar. No entanto, é mesmo preocupante a seleção de 2020, onde não há qualquer vestígio de representatividade em um ano com elogiadas performances de atores negros no radar (Cynthia Erivo com Harriet, Lupita Nyong’o com Nós, citando as mais cotadas) e também vários filmes dirigidos por mulheres (Lulu Wang com The Farewell, Greta Gerwig com Adoráveis Mulheres). Tudo é muito branco e masculino, reafirmando o consumo cinematográfico de viés machista e racista de um eleitorado que coloca todos esses filmes em categorias técnicas ou de produção em língua não-inglesa, mas nunca na disputa de melhor filme, direção ou de interpretações.

É péssima também a estreia da categoria de melhor elenco, antes uma novidade a ser comemorada. Como, por exemplo, Dois Papas e Coringa concorrem munidos de somente dois ou três atores de destaque enquanto outros títulos que são claramente melhores definições de um excelente trabalho de elenco são sequer citados? Onde foi parar a ideia de celebrar o coletivo e não apenas uma dupla ou um trio, facilmente contempláveis em categorias individuais de interpretação? Com Coringa liderando a lista com 11 indicações, seguido de longas que já vimos em tantas outras seleções e de ajustes preguiçosos (Margot Robbie com indicação dupla?), o BAFTA logo antecipou a polêmica e emitiu um comunicado dizendo que o problema da falta de representatividade é anterior e que o prêmio só reflete um enorme buraco da indústria. É uma desculpa com seu fundo de verdade, mas incapaz de eximir a culpa de uma premiação que, como parte de celebração à indústria, também tem papel fundamental na missão de disseminar mudanças.

Os vencedores do BAFTA serão conhecidos no dia 2 de fevereiro. Confira abaixo a lista completa de indicados:

MELHOR FILME
1917
Coringa
Era Uma Vez Em… Hollywood
O Irlandês
Parasita

MELHOR DIREÇÃO
Bong Joon-ho (Parasita)
Martin Scorsese (O Irlandês)
Quentin Tarantino (Era Uma Vez Em… Hollywood)
Sam Mendes (1917)
Todd Phillips (Coringa)

MELHOR ATRIZ
Charlize Theron (O Escândalo)
Jessie Buckley (As Loucuras de Rose)
Renée Zellweger (Judy: Muito Além do Arco-Íris)
Saoirse Ronan (Adoráveis Mulheres)
Scarlett Johansson (História de Um Casamento)

MELHOR ATOR
Adam Driver (História de Um Casamento)
Joaquin Phoenix (Coringa)
Jonathan Pryce (Dois Papas)
Leonardo Dicaprio (Era Uma Vez Em… Hollywood)
Taron Egerton (Rocketman)

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE
Florence Pugh (Adoráveis Mulheres)
Laura Dern (História de Um Casamento)
Margot Robbie (O Escândalo)
Margot Robbie (Era Uma Vez Em… Hollywood)
Scarlett Johansson (Jojo Rabbit)

MELHOR ATOR COADJUVANTE
Al Pacino (O Irlandês)
Anthony Hopkins (Dois Papas)
Brad Pitt (Era Uma Vez Em… Hollywood)
Joe Pesci (O Irlandês)
Tom Hanks (Um Lindo Dia na Vizinhança)

MELHOR ELENCO
Coringa
Dois Papas
Era Uma Vez Em… Hollywood
História de um Casamento
The Personal History Of David Copperfield

MELHOR ROTEIRO ORIGINAL
Entre Facas e Segredos
Era Uma Vez em… Hollywood
Fora de Série
História de Um Casamento
Parasita

MELHOR ROTEIRO ADAPTADO
Adoráveis Mulheres
Coringa
Dois Papas
O Irlandês
Jojo Rabbit

MELHOR TRILHA SONORA
1917
Adoráveis Mulheres
Coringa
Jojo Rabbit
Star Wars: A Ascensão Skywalker

MELHOR FOTOGRAFIA
1917
Coringa
O Farol
Ford vs Ferrari
O Irlandês

MELHOR MONTAGEM
Coringa
Era Uma Vez em… Hollywood
Ford vs Ferrari
O Irlandês
Jojo Rabbit

MELHOR DESIGN DE PRODUÇÃO
1917
Coringa
Era Uma Vez em… Hollywood
O Irlandês
Jojo Rabbit

MELHOR FIGURINO
Adoráveis Mulheres
Era Uma Vez Em… Hollywood
O Irlandês
Jojo Rabbit
Judy: Muito Além do Arco-Íris

MELHOR MAQUIAGEM E PENTEADOS
1917
Coringa
O Escândalo
Judy: Muito Além do Arco-Íris
Rocketman

MELHOR SOM
1917
Coringa
Ford vs Ferrari
Rocketman
Star Wars: A Ascensão Skywalker

MELHORES EFEITOS VISUAIS
1917
O Irlandês
O Rei Leão
Star Wars: A Ascensão Skywalker
Vingadores: Ultimato

MELHOR FILME BRITÂNICO
1917
Dois Papas
Bait
For Sama
Rocketman
Você Não Estava Aqui

MELHOR FILME EM LÍNGUA NÃO-INGLESA
Dor e Glória
The Farewell
For Sama
Parasita
Retrato de uma Jovem em Chamas

MELHOR DOCUMENTÁRIO
American Factory
Apollo 11
Diego Maradona
The Great Hack

For Sama

MELHOR ANIMAÇÃO
Frozen 2
Klaus
Shaun, o Carneiro: Aliens
Toy Story 4

MELHOR ESTREIA DE UM DIRETOR, PRODUTOR OU ROTEIRISTA BRITÂNICO
Bait (Mark Jenkin, diretor e roteirista; Kate Byers; Linn Waite, produtor)
For Sama (Waad Al-Kateab, diretor e produtor; Edward Watts, diretor)
Maiden (Alex Holmes, diretor)
Only You (Harry Wootliff, roteirista e diretor)
Retablo (Álvaro Delgado-Aparicio, roteirista e diretor)

MELHOR CURTA BRITÂNICO
Azaar
Goldfish
Kamali
Learning To Skateboard In A Warzone (If You’re A Girl)
The Trap

MELHOR CURTA BRITÂNICO (ANIMAÇÃO)
Grandad Was a Romantic
In Her Boots
The Magic Boat

EE RISING STAR AWARD – Estrela em ascensão
Awkwafina
Jack Lowden
Kaitlyn Dever
Kelvin Harrison Jr.
Micheal Ward

Os vencedores do Globo de Ouro 2020

Joaquin Phoenix foi o melhor ator por Coringa no Globo de Ouro 2020. Renée Zellweger, Laura Dern e Brad Pitt também se consolidam como favoritos para as próximas premiações.

Entre títulos dirigidos por cineastas consagrados (O Irlandês, Era Uma Vez Em… Hollywood) e outros que ecoaram com grande impacto junto a público e crítica (Parasita, História de Um Casamento e Coringa), o Globo de Ouro optou por uma via aparentemente mais imparcial: premiar 1917 como melhor filme. Dirigido por Sam Mendes, o épico de guerra sequer estreou comercialmente nos Estados Unidos, passando em branco nas listas de tantas associações de críticos que se dividiam entre O Irlandês e Parasita. Foi a maior surpresa de uma noite que, no geral, confirmou vários caminhos já ensaiados na temporada de premiações.

Há pelo menos dois grandes tombos registrados no Globo de Ouro 2020. O primeiro é o de O Irlandês, que não se beneficiou de uma lista altamente distributiva e saiu de mãos abanando. O segundo é o da Netflix, que ostentava 34 indicações e acabou levando somente duas (atriz coadjuvante em cinema para Laura Dern com História de Um Casamento e melhor atriz em série dramática para Olivia Colman com The Crown). Por outro lado, estão confirmados os favoritismos de nomes como Renée Zellweger (melhor atriz por Judy), Joaquin Phoenix (ator por Coringa) e Brad Pitt (ator coadjuvante por Era Uma Vez Em… Hollywood), além da já citada Laura Dern.

Não é difícil imaginar o Globo de Ouro já sinalizando uma ampla consagração para 1917 no Oscar. Épicos ainda mobilizam a Academia, especialmente aqueles repletos de virtuosismos técnicos e artifícios como o uso de planos-sequência. Em um ano onde é difícil achar uma métrica para diretores tão unânimes em diferentes espectros, essa parece ser uma saída bastante lógica. Na próxima semana, o longa de Sam Mendes volta a concorrer a um prêmio: o Critics’ Choice Awards, que costuma ser confuso e de relevância menor do que a do Globo de Ouro. Fica, entretanto, a curiosidade em relação a como o filme performará junto a um novo grupo de votantes.

Confira abaixo a lista completa de vencedores do Globo de Ouro 2020:

CINEMA

MELHOR FILME – DRAMA: 1917
MELHOR FILME COMÉDIA/MUSICAL: Era Uma Vez Em… Hollywood
MELHOR DIREÇÃO: Sam Mendes (1917)
MELHOR ATRIZ – DRAMA: Renée Zellweger (Judy: Muito Além do Arco-Íris)
MELHOR ATOR – DRAMA: Joaquin Phoenix (Coringa)
MELHOR ATRIZ – COMÉDIA/MUSICAL: Awkwafina (The Farewell)
MELHOR ATOR – COMÉDIA/MUSICAL: Taron Egerton (Rocketman)
MELHOR ATRIZ COADJUVANTE: Laura Dern (História de Um Casamento)
MELHOR ATOR COADJUVANTE: Brad Pitt (Era Uma Vez Em… Hollywood)
MELHOR ROTEIRO: Era Uma Vez Em… Hollywood
MELHOR ANIMAÇÃO: Link Perdido
MELHOR FILME ESTRANGEIRO: Parasita (Coreia do Sul)

MELHOR CANÇÃO ORIGINAL: “(I’m Gonna) Love Me Again” (Rocketman)
MELHOR TRILHA SONORA: Coringa

SÉRIES, MINISSÉRIES E TELEFILMES

MELHOR SÉRIE – DRAMA: Succession
MELHOR SÉRIE – COMÉDIA: Fleabag
MELHOR MINISSÉRIE/TELEFILME: Chernobyl

MELHOR ATRIZ – DRAMA: Olivia Colman (The Crown)
MELHOR ATOR – DRAMA: Brian Cox (Succession)
MELHOR ATRIZ – COMÉDIA: Phoebe Waller-Bridge (Fleabag)
MELHOR ATOR – COMÉDIA: Ramy Youssef (Ramy)
MELHOR ATRIZ – MINISSÉRIE/TELEFILME: Michelle Williams (Fosse/Verdon)
MELHOR ATOR – MINISSÉRIE/TELEFILME: Russell Crowe (The Loudest Voice)
MELHOR ATRIZ COADJUVANTE – SÉRIE/MINISSÉRIE/TELEFILME: Patricia Arquette (The Act)
MELHOR ATOR COADJUVANTE – SÉRIE/MINISSÉRIE/TELEFILME: Stellan Skarsgård (Chernobyl)

%d blogueiros gostam disto: