Cinema e Argumento

Os vencedores do Oscar 2022

janecampionoscar

Em quase cem anos de história do Oscar, Jane Campion (Ataque dos Cães) se torna a terceira mulher a conquistar o prêmio de melhor direção.

O tapa dado por Will Smith em Chris Rock foi o assunto mais comentado do Oscar 2022, e isso diz muito sobre uma cerimônia que, em todos os aspectos, foi vexaminosa em todas as escolhas tomadas. Já se tratava de um desastre anunciado desde que os produtores anunciaram, por exemplo, a decisão de não transmitir ao vivo a entrega das estatuetas para algumas categorias técnicas, mas tudo foi muito além de uma noite sem foco e personalidade que preferiu Shawn Mendes e DJ Khaled a endereçar o devido respeito a profissionais de segmentos que, gravados antes da cerimônia ao vivo, acabaram com suas vitórias reveladas ao público via Twitter.

Da edição dos clipes a intervenções desesperadas por audiência, como a interpretação de We Don’t Talk About Bruno, de Encanto, que sequer concorria em canção original, o Oscar 2022 escancarou uma falta de convicção da Academia quanto a sua própria relevância e, principalmente, a equivocada missão que colocou na cabeça de ser um sucesso de audiência a qualquer custo — algo simplesmente impossível por razões merecedoras de uma discussão à parte. No final das contas, a cerimônia do ano passado que tanto defendi e que foi tão injustiçada pelo público me parece cada vez mais alinhada ao verdadeiro espírito do que deve ser o Oscar.

Na esperança de ver resultados mais inspirados, acabei com uma péssima pontuação nas minhas apostas. Quem seguiu o óbvio certamente se deu bem, pois não houve uma surpresa sequer ao longo de toda cerimônia, em qualquer categoria, seja para o bem (prêmio de direção para Jane Campion, documentário para Summer of Soul, filme internacional para Drive My Car, etc) ou para o mal (Ataque dos Cães saindo da cerimônia com apenas uma estatueta entre as 12 em que concorria, Belfast em roteiro original, os prêmios para Will Smith e Jessica Chastain por cinebiografias super quadradas). Pelo visto, a crescente ala internacional entre os votantes já é capaz de emplacar indicações bem diferenciadas, mas ainda não consegue o mesmo efeito na hora de eleger vencedores.

Por fim, sou fã de Ataque dos Cães e gosto bastante de No Ritmo do Coração. Prefiro, sim, o primeiro, mas não me incomodo com a consagração do segundo, um filme simples, de emoções genuínas e que se conecta verdadeiramente com o público. Inclusive, a vitória faz sentido se lembrarmos que o sistema de votação de melhor filme contempla aquele trabalho que é mais consenso entre os votantes. E ainda acho que Ataque dos Cães saiu só com uma estatueta porque Duna também acabou roubando duas: melhor montagem e fotografia.

Entretanto, o que eu gostaria de dizer é que precisamos tomar cuidado com juízo de valores neste momento, especialmente no calor da hora. Vale concordar. Vale discordar. Vale se indignar. Vale comemorar. O que não vale é ficar apontando dedo para dizer o que é mais ou menos cinema, como se houvesse certo ou errado, perpetuando um discurso pomposo e elitista de que cinema só é cinema quando se encaixa nos padrões de “filme de arte”.

Cinema também é emoção, simplicidade, empatia. E isso “No Ritmo do Coração” tem de sobra. Não concordo com o hate. Mesmo. Principalmente porque já deixei de levar o Oscar tão a sério. Quem dá a importância a um filme é a gente e o tempo. Não os prêmios. E isso é para lá de subjetivo. Quanto antes entendemos isso, melhor para todo mundo. Principalmente para os filmes.

Confiro abaixo a lista de vencedores:

MELHOR FILME: No Ritmo do Coração
MELHOR DIREÇÃO: Jane Campion (Ataque dos Cães)
MELHOR ATRIZ: Jessica Chastain (Os Olhos de Tammy Faye)
MELHOR ATOR: Will Smith (King Richard: Criando Campeãs)
MELHOR ATRIZ COADJUVANTE: Ariana DeBose (Amor, Sublime Amor)
MELHOR ATOR COADJUVANTE: Troy Kotsur (No Ritmo do Coração)
MELHOR ROTEIRO ORIGINAL: Belfast
MELHOR ROTEIRO ADAPTADO: No Ritmo do Coração
MELHOR FILME INTERNACIONAL: Drive My Car (Japão)
MELHOR ANIMAÇÃO: Encanto
MELHOR DOCUMENTÁRIO: Summer of Soul (…Ou, Quando a Revolução Não Podia Ser Televisionada)

MELHOR FOTOGRAFIA: Duna
MELHOR FIGURINO: Cruella
MELHOR MONTAGEM: Duna
MELHOR TRILHA SONORA: Duna
MELHOR CANÇÃO ORIGINAL: “No Time to Die” (Sem Tempo Para Morrer)

MELHOR SOM: Duna 
MELHOR DESIGN DE PRODUÇÃO: Duna

MELHOR MAQUIAGEM E PENTEADOS: Os Olhos de Tammy Faye
MELHORES EFEITOS VISUAIS: Duna
MELHOR CURTA-METRAGEM: The Long Goodbye
MELHOR CURTA-METRAGEM (DOCUMENTÁRIO): The Queen of Basketball
MELHOR CURTA-METRAGEM (ANIMAÇÃO): The Windshield Whiper

Apostas para o Oscar 2022

oscar2020's

De tudo um pouco aconteceu na temporada de premiações deste ano: a categoria de melhor atriz mudou de favorita um punhado de vezes, não há grande clareza entre os concorrentes de roteiro adaptado e original, filmes como Belfast podem sair de mãos abanando apesar do expressivo número de indicações e até mesmo a total consagração de Duna nas categorias técnicas já não pode mais ser dada como certa. O Oscar 2022 tem muitas perguntas para responder na cerimônia de hoje, e esse clima de suspense é sempre um excelente estímulo.

Há pouquíssimas respostas certas para o bolão desta edição: coloque nesta conta apenas direção para Jane Campion (Ataque dos Cães), ator para Will Smith (King Richard: Criando Campeãs), atriz coadjuvante para Ariana DeBose (Amor, Sublime Amor), ator coadjuvante para Troy Kotsur (No Ritmo do Coração) e filme internacional para Drive My Car. De resto, categorias extremamente disputadas, e não apenas entre dois concorrentes, mas entre vários. Há ainda a potente tração que No Ritmo do Coração ganhou de última hora para a categoria de melhor filme, deixando Ataque dos Cães com a possibilidade de levar apenas o prêmio de melhor direção, algo que não acontece desde 1967, quando Mike Nichols venceu por A Última Noite de Um Homem.

É difícil diagnosticar o que de fato é tendência ou conversa de botequim, como um suposto favoritismo de Penélope Cruz em Mães Paralelas, o que seria uma vitória à la Marcia Gay Harden por Pollock, já que a atriz espanhol não concorreu em nenhum outro prêmio televisionado. Há prós e contras para todos os indicados em muitas categorias, resultado de uma temporada que raramente entrou em consenso.  E, por isso mesmo, fazer apostas apostas na edição deste ano é mais questão de intuição do que de matemática, ao contrário da maioria dos anos anteriores. Abaixo, compartilho os meus palpites, tentando prever um resultado que tem potencial para surpreender em vários aspectos. 

MELHOR FILME: Ataque dos Cães / alt: No Ritmo do Coração
MELHOR DIREÇÃO: Jane Campion (Ataque dos Cães) / alt: Steven Spielberg (Amor, Sublime Amor)
MELHOR ATRIZ: Jessica Chastain (Os Olhos de Tammy Faye) / alt: Penélope Cruz (Mães Paralelas)
MELHOR ATOR: Will Smith (King Richard: Criando Campeãs) / alt: Benedict Cumberbatch (Ataque dos Cães)
MELHOR ATRIZ COADJUVANTE: Ariana DeBose (Amor, Sublime Amor) / alt: Kirsten Dunst (Ataque dos Cães)
MELHOR ATOR COADJUVANTE: Troy Kotsur (No Ritmo do Coração) / alt: Kodi Smit-McPhee (Ataque dos Cães)
MELHOR ROTEIRO ORIGINAL: Licorice Pizza / alt: Belfast
MELHOR ROTEIRO ADAPTADO: No Ritmo do Coração / alt: A Filha Perdida
MELHOR FILME INTERNACIONAL: Drive My Car (Japão) / alt: A Pior Pessoa do Mundo (Noruega)
MELHOR ANIMAÇÃO: Encanto / alt: A Família Mitchell e a Revolta das Máquinas
MELHOR DOCUMENTÁRIO: Summer of Soul (…Ou, Quando a Revolução Não Podia Ser Televisionada) / alt: Flee – Nenhum Lugar Para Chamar de Lar

MELHOR FOTOGRAFIA: Ataque dos Cães / alt: Duna
MELHOR FIGURINO: Amor, Sublime Amor / alt: Cruella
MELHOR MONTAGEM: Ataque dos Cães / alt: tick, tick… Boom!
MELHOR TRILHA SONORA: Duna / alt: Ataque dos Cães
MELHOR CANÇÃO ORIGINAL: “No Time to Die” (Sem Tempo Para Morrer) / alt: “Be Alive” (King Richard: Criando Campeãs)

MELHOR SOM: Amor, Sublime Amor / alt: Duna 
MELHOR DESIGN DE PRODUÇÃO: Duna / alt: O Beco do Pesadelo

MELHOR MAQUIAGEM E PENTEADOS: Os Olhos de Tammy Faye / alt: Duna
MELHORES EFEITOS VISUAIS: Duna / alt: Sem Tempo Para Morrer
MELHOR CURTA-METRAGEM: The Long Goodbye / alt: Please Hold
MELHOR CURTA-METRAGEM (DOCUMENTÁRIO): The Queen of Basketball / alt: Audible
MELHOR CURTA-METRAGEM (ANIMAÇÃO): A Sabiá Sabiazinha / alt: The Windshield Whiper

Os vencedores do BAFTA 2022

debosebafta

Ariana DeBose e seu BAFTA de melhor atriz coadjuvante por Amor, Sublime Amor: premiação britânica consagrou nomes já esperados da temporada.

Novamente provando que a mudança no sistema de seleção dos indicados não se converte em transformação no resultado de vencedores, o BAFTA consagrou hoje todos os nomes já esperados na corrida rumo ao Oscar deste ano. Dos prêmios de filme e direção para Ataque dos Cães a prêmios de interpretação como os de Will Smith (King Richard: Criando Campeãs), Ariana DeBose (Amor, Sublime Amor) e Troy Kotsur (No Ritmo do Coração), os votantes só escaparam do óbvio em categorias com circunstâncias muito específicas, a exemplo de melhor atriz, em que Joanna Scanlan (After Love) levou a estatueta sem ter qualquer indicada ao Oscar na disputa. É um momento delicado para o BAFTA, cuja personalidade mais uma vez se esvai mesmo com os novos métodos em curso para recuperar sua autenticidade de outrora ou construir um novo posicionamento.

Confira os vencedores:

MELHOR FILMEAtaque dos Cães
MELHOR FILME BRITÂNICOBelfast
MELHOR DIREÇÃO: Jane Campion (Ataque dos Cães)
MELHOR ATRIZ: Joanna Scanlan (After Love)
MELHOR ATOR: Will Smith (King Richard: Criando Campeãs)
MELHOR ATRIZ COADJUVANTE: Ariana DeBose (Amor, Sublime Amor)
MELHOR ATOR COADJUVANTE: Troy Kotsur (No Ritmo do Coração)
MELHOR ELENCOAmor, Sublime Amor
MELHOR ROTEIRO ORIGINAL: Licorice Pizza
MELHOR ROTEIRO ADAPTADONo Ritmo do Coração
MELHOR FILME EM LINGUA NÃO-INGLESA: Drive My Car (Japão)
MELHOR DOCUMENTÁRIOSummer of Soul (…ou, Quando a Revolução Não Podia Ser Televisionada)
MELHOR ANIMAÇÃOA Família Mitchell e a Revolta das Máquinas
MELHOR FOTOGRAFIA: Duna
MELHOR TRILHA SONORADuna
MELHOR DESIGN DE PRODUÇÃO: Duna
MELHOR FIGURINOCruella
MELHOR MONTAGEM: Sem Tempo Para Morrer
MELHOR MAQUIAGEM E PENTEADOSOs Olhos de Tammy Faye
MELHOR SOM: Duna
MELHORES EFEITOS VISUAISDuna
MELHOR ESTREIA BRITÂNICA: Vingança & Castigo (Jeymes Samuel, roteiro e direção)
MELHOR CURTA-METRAGEM: The Black Cop
MELHOR CURTA-METRAGEM BRITÂNICO DE ANIMAÇÃO: Do Not Feed the Pigeons
EE RISING STAR: Lashana Lynch

Os vencedores do Screen Actors Guild Awards 2022

codasag

Além da estatueta de melhor ator coadjuvante para Troy Kotsur, No Ritmo do Coração foi o grande vencedor do SAG 2022 com o prêmio de melhor elenco.

Com algumas surpresas na manga, o Screen Actors Guild Awards realizou uma cerimônia que, ao contrário de tantos outros anos, não confirmou o óbvio em sua totalidade, mas sim embaralhou a corrida rumo ao Oscar em alguns aspectos. Antes grande favorito, Kodi Smit-McPhee (Ataque dos Cães), por exemplo, agora vê sua predileção ser basicamente tomada por Troy Kotsur (No Ritmo do Coração). Previamente na dianteira das apostas, Olivia Colman (A Filha Perdida) e Nicole Kidman (Apresentando os Ricardos) acabaram desbancadas por Jessica Chastain (Os Olhos de Tammy Faye), em uma reviravolta que, de uma vez por todas, nos remete ao suspense do ano passado na mesma categoria, onde cada premiação consagrou uma intérprete diferente na categoria antes do Oscar. A sorte está mais uma vez lançada. 

Por fim, No Ritmo do Coração levou o prêmio de melhor elenco em uma categoria marcada pelo enorme desfalque de Ataque dos Cães, inexplicavelmente ausente nessa seleção. É uma coroação justa porque valoriza simplicidade e generosidade, dando atenção a um filme de fato popular e que se conecta com o público, diferentemente de tantas outras produções pseudo-universais que as premiações insistem em celebrar ano após ano. Não é um prêmio que significa qualquer coisa para o filme na corrida como um todo, mas sim um momento onde o SAG faz a coisa certa, premiando o melhor elenco, e não o melhor o filme ou o projeto com mais estrelas nos créditos. Não é sempre isso que acontece, muito menos com um projeto tão simples e pequeno.

Confira abaixo a lista de vencedores:

CINEMA

MELHOR ELENCONo Ritmo do Coração
MELHOR ATRIZ: Jessica Chastain (Os Olhos de Tammy Faye)
MELHOR ATOR: Will Smith (King Richard: Criando Campeãs)
MELHOR ATRIZ COADJUVANTE: Ariana DeBose (Amor, Sublime Amor)
MELHOR ATOR COADJUVANTE: Troy Kotsur (No Ritmo do Coração)

SÉRIES, MINISSÉRIES E TELEFILMES

MELHOR ELENCO EM SÉRIE DE DRAMASuccession
MELHOR ELENCO EM SÉRIE DE COMÉDIA: Ted Lasso
MELHOR ATRIZ EM SÉRIE DE COMÉDIA: Jean Smart (Hacks)

MELHOR ATRIZ EM SÉRIE DE DRAMA: Jung Ho-Yeon (Round 6)
MELHOR ATOR EM SÉRIE DE DRAMA: Lee Jung-Jae (Round 6)
MELHOR ATOR EM SÉRIE DE COMÉDIA: Jason Sudeikis (Ted Lasso)

MELHOR ATRIZ EM MINISSÉRIE OU TELEFILME: Kate Winslet (Mare of Easttown)
MELHOR ATOR EM MINISSÉRIE OU TELEFILME: Michael Keaton (Dopesick)

Apostas para o Screen Actors Guild Awards 2022

sagstatues

O ano de 2022 reforça uma tendência importante na temporada de premiações: o de que os prêmios precursores estão cada vez mais distantes da realidade do Oscar ao, justamente, tentarem prevê-lo. O Screen Actors Guild Awards não fica isento dessa estatística, e exemplo disso é a ausência inexplicável de Ataque dos Cães, grande favorito do ano, na categoria de melhor elenco. A ausência se torna duplamente injustificada porque nada menos do que três atores do filme de Jane Campion concorrem em categorias individuais. Adicione à conta indicações vergonhosas como a de Jared Leto por Casa Gucci e ausências como a de Kristen Stewart por Spencer para entender definitivamente que o SAG, apesar de ainda influente, pouco a pouco perde o seu selo de garantia rumo ao Oscar.

Sem Ataque dos Cães na jogada, é provável que o prêmio principal fique com No Ritmo do Coração ou Não Olhe Para Cima, filmes realmente marcados por seu trabalho de elenco. Nas categorias individuais, Ariana DeBose (Amor, Sublime Amor) e Will Smith (King Richard) podem garantir nova vantagem nas suas trajetórias já vitoriosas nas categorias de melhor atriz coadjuvante e ator, respectivamente. Enquanto isso, as disputas mais interessantes ficam entre os atores coadjuvantes (Kodi Smit-McPhee está na frente, mas vale ficar de olho em Troy Kotsur) e as atrizes, onde a corrida está bastante aberta e com duas indicadas que, apesar das glórias já alcançadas em suas carreiras, ainda não levaram um SAG individual por cinema: Nicole Kidman (Apresentando os Ricardos) e Olivia Colman (A Filha Perdida).

Confira abaixo apostas para todas as categorias:

CINEMA

MELHOR ELENCONo Ritmo do Coração / alt: Não Olhe Para Cima
MELHOR ATRIZ: Olivia Colman (A Filha Perdida) / alt: Nicole Kidman (Apresentando os Ricardos)
MELHOR ATOR: Will Smith (King Richard: Criando Campeãs) / alt: Benedict Cumberbatch (Ataque dos Cães)
MELHOR ATRIZ COADJUVANTE: Ariana DeBose (Amor, Sublime Amor) / alt: Kirsten Dunst (Ataque dos Cães)
MELHOR ATOR COADJUVANTE: Troy Kotsur (No Ritmo do Coração) / alt: Kodi Smit-McPhee (Ataque dos Cães)

SÉRIES, MINISSÉRIES E TELEFILMES

MELHOR ELENCO EM SÉRIE DE DRAMA: Succession / alt: The Handmaid’s Tale
MELHOR ELENCO EM SÉRIE DE COMÉDIAHacks / alt: Only Murders in the Building
MELHOR ATRIZ EM SÉRIE DE COMÉDIA: Jean Smart (Hacks) / alt: Elle Fanning (The Great)

MELHOR ATRIZ EM SÉRIE DE DRAMA: Sarah Snook (Succession) / alt: Elisabeth Moss (The Handmaid’s Tale)
MELHOR ATOR EM SÉRIE DE DRAMA: Jeremy Strong (Succession) / alt: Kieran Culkin (Succession)
MELHOR ATOR EM SÉRIE DE COMÉDIA: Jason Sudeikis (Ted Lasso) / alt: Steve Martin (Only Murders in the Building)

MELHOR ATRIZ EM MINISSÉRIE OU TELEFILME: Kate Winslet (Mare of Easttown) / alt: Jennifer Coolidge (The White Lotus)
MELHOR ATOR EM MINISSÉRIE OU TELEFILME: Evan Peters (Mare of Easttown) / alt: Ewan McGregor (Halston)

%d blogueiros gostam disto: