Amor a Toda Prova

I’m so mad at you. I’m really mad at you for what you did. But I’m mad at myself too. Because I should not have jumped out of that car. I should have fought for you. Because you fight for your soul mates.

Direção: Glenn Ficarra e John Requa

Elenco: Steve Carell, Ryan Gosling, Julianne Moore, Emma Stone, Kevin Bacon, Marisa Tomei, Josh Groban, Analeigh Tipton, Jonah Bobo, Joey King

Crazy, Stupid, Love, EUA, 2011, Comédia Romântica, 118 minutos

Sinopse: Cal Weaver (Steve Carell) tem quarenta e poucos anos e leva uma vida perfeita, com um bom emprego, filhos e um casamento com a namorada do colégio, Emily (Julianne Moore). Até que, ao descobrir que Emily o está traindo e quer o divórcio, sua vida desaba por completo. Forçado a voltar ao mundo dos solteiros, ele enfrenta as dificuldades habituais de quem não sabe mais como se portar para se aproximar de uma mulher. É quando entra em cena Jacob Palmer (Ryan Gosling), um amigo que passa a lhe dar algumas dicas.

A comédia é um gênero que sempre faz sucesso, mas isso não quer dizer necessariamente que seus exemplares são todos de qualidade. Por sinal, são raras as comédias que, atualmente, conseguem ser diferentes. Amor a Toda Prova quase entra no grupo dos filmes batidos, mas consegue se diferenciar por alcançar um feito quase raro: fazer muito com pouco. O novo trabalho da dupla Glenn Ficarra e John Requa, do estranho O Golpista do Ano, mostra que, mesmo com uma história de resoluções praticamente óbvias e personagens previsíveis, um longa pode sim funcionar. Basta que tudo seja orquestrado da devida maneira.

Ora, vejam bem: Amor a Toda Prova tem o marido traído que resolve mudar de vida, o galanteador bonitão que faz sucesso nos bares, o filho com mentalidade avançada para sua idade e a garota bonita e inteligente que não enxerga o panaca que seu namorado é. Além de outros personagens desse estilo, é fácil deduzir como certas storylines vão se desenvolver. Só que, ao contrário de ser afetado negativamente por essas previsibilidades, Amor a Toda Prova tem tudo isso a seu favor. O roteiro, longe de ser pretensioso, extrai o melhor dessas situações, enquanto o elenco cumpre com louvor a missão de tornar tudo mais prazeroso. É um filme óbvio, mas bem contado e interpretado.

Os atores, aliás, merecem uma citação à parte. Se uma comédia não é boa, pelo menos deve ter um elenco eficiente (como foi o caso de Minhas Mães e Meu Pai, no ano passado). Por sorte, Amor a Toda Prova, além de ser um longa bem sucedido, também tem um excelente conjunto de atores, começando pelo protagonista Steve Carell, que vem acumulando ótimos desempenhos (Pequena Miss Sunshine e Eu, Meu Irmão e Nossa Namorada são pérolas desse ator subestimado) e que aqui, mais uma vez, utiliza seu talento nato para comédia e, também, sua economia de gestos: seu olhar entristecido é o suficiente e ele não procura vitimizar seu personagem.

Se Carell não tem intenção de martirizar a figura que interpreta, Julianne Moore, junto com o roteiro, também não quer vilanizar seu papel. Sua esposa que traiu o marido é simplesmente uma mulher perdida e frustrada com um casamento que iniciou ainda no colegial, quando ambos disseram “sim” após uma gravidez prematura. De resto, ainda podemos citar o eficiente Ryan Gosling (que tem considerável destaque sendo a dupla de Carell), a impagável Marisa Tomei em pequenas aparições e todos os outros atores desconhecidos e de menor destaque. Amor a Toda Prova tem sorte de poder contar com um elenco tão especial.

Mais sentimental do que poderia se esperar no gênero – certas passagens são realmente emocionantes por causa da sinceridade ao falar de relacionamentos – Amor a Toda Prova tem também a seu favor o fato de dividir muito bem os tons de comédia e romance. Portanto, é um filme que funciona tanto para o público feminino quanto para o público masculino. Para se recomendar sem medo. Agora, apesar de todas essas diferenças, só é uma pena que o conjunto geral não seja assim tão marcante. É um filme diferente, claro, mas que apresenta certas necessidades que não são supridas, como uma montagem mais dinâmica, por exemplo: fica claro como o filme é divido em blocos, fazendo com que algumas histórias, de vez em quando, sejam até esquecidas em função de outras que tomam maior destaque. No entanto, quaquer defeito é mero detalhe dessa boa surpresa de 2011.

FILME: 8.0

5 comentários em “Amor a Toda Prova

  1. Eu também não esperava tanto e adorei… ando gostando muito dos trabalhos do Ryan Gosling … vou começar a acompanhar teu blog … muitos aí desta lista eu também já vi..

  2. Reinaldo, excede expectativas mesmo!

    Mayara, eu também não esperava gostar tanto e o que mais me chamou a atenção foi o elenco.

    Kamila, o elenco já está entre os melhores do ano!

  3. O que eu mais gostei nesse filme é que ele faz um retrato do amor pelo ponto de vista masculino. São os homens que movem a trama e isso é muito interessante. Apesar de ele desafiar esses clichês, a obra os confirma e isso é um detalhe ainda mais legal na obra. E tem o elenco, que é sensacional!!!

  4. Achei esse filme uma delícia, tem sim os clichês tipicos dos romances hollywoodianos, mas eles são muito bem trabalhados aqui. Esperava gostar, mas não tanto. rsrs. ;)

Deixe uma resposta para Matheus Pannebecker Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: