Oscar 2011: Atriz Coadjuvante

Se dois anos atrás tivessem me dito que Melissa Leo era favorita para o Oscar, eu estaria vibrando de alegria. Pra falar bem a verdade, até certo tempo atrás eu estava. Bastou conferir O Vencedor para que meu entusiasmo acabasse. De fato, Leo é a melhor entre as concorrentes. Mas isso não quer dizer muita coisa. Ela apenas encabeça, sem muitos méritos, uma seleção extremamente fraca – possivelmente, a pior dos últimos anos – onde as candidatas estão todas praticamente no mesmo nível.

Melissa Leo venceu o Globo de Ouro e o SAG, dois prêmios importantíssimos na corrida para o Oscar. Contudo, eis que Leo começa a perder as estribeiras apelando para jogadas sujas e de péssimo tom. Por alguma razão misteriosa, a atriz pagou do próprio bolso para fazer anúncios de sua interpretação com o intuito de arrecadar votos. Ora, se ela já era a total favorita, a troco de quê resolveu pagar esse mico?

E o pior de tudo: recentemente, começou a falar mal de suas colegas de categoria. De acordo com Leo, Hailee Steinfeld estaria “cafetinando” uma indicação, Amy Adams teria uma certa “inveja” por não ter vencido prêmio algum e Helena Bonham Carter teria lhe dado empurrões no almoço do Oscar. Ou seja, a favorita ao prêmio da Academia está sujando a própria imagem. Será que isso lhe custaria a estatueta?

Dizem por aí que a garota Steinfeld seria a outra favorita, mas, na minha opinião, quem deve se dar bem com a insanidade mental de Melissa Leo é Helena Bonham Carter ou Amy Adams (seria ótimo para dar uma lição em Leo, não?). A primeira por já estar em sua segunda indicação e por ter faturado o BAFTA por um longa que foi altamente adorado pelos votantes do Oscar. A segunda por ser uma jovem recém descoberta e que dá constantes provas de talento e boas escolhas.

Resumindo, a categoria que até pouco tempo atrás estava definida hoje já não é mais certa. Culpa da própria favorita, que está, pouco a pouco, afundando sua reputação e ficando cada vez mais longe da estatueta com essas atitudes desnecessárias. O Oscar não gosta de gente assim. Eddie Murphy e Mickey Rourke sabem disso muito bem. E agora: os votantes perdoarão Melissa Leo ou será que pretendem nos preparar uma surpresa?

Abaixo, minha ordem de preferência das indicadas:

1. MELISSA LEO (O Vencedor): Como a mãe desnaturada que tem um claro favoritismo entre os filhos, Leo é um dos destaques desse filme todo baseado em atuações. Talvez chame mais a atenção pelo personagem chamativo do que pela interpretação em si (o show dela de verdade estava em Rio Congelado). No entanto, das indicadas, é a que melhor destaca sua presença no seu respectivo filme.

2. AMY ADAMS (O Vencedor): Com sua habitual beleza delicada e angelical, Amy Adams abandonou seus papéis ingênuos para viver uma moça que fala palavrões, sai no tapa com outras mulheres e que é extremamente decidida em suas escolhas. Alguns dizem ser mais do mesmo (deve ser a indicação ao Oscar mais fraca dela), mas Adams é sempre eficiente e também contribui para o excelente trabalho de elenco de O Vencedor.

3. HELENA BONHAM CARTER (O Discurso do Rei): Está merecidamente recebendo reconhecimento com indicações em função de sua interpretação contida e de mulher comum – algo que não é tão presente na carreira da atriz. Por mais que esteja longe de alcançar a notável excelência de Colin Firth e Geoffrey Rush, Helena funciona sempre que aparece, nunca estando desnecessária – algo que beneficia muito sua indicação.

4. JACKI WEAVER (Reino Animal): Pena que Jacki Weaver faça parte de um filme tão estranho e pouco eficiente como esse. Ela é aquele tipo de atriz que atrai o espectador de imediato com sua representação, mas que sofre por ser pouco utilizada pelo filme. Se Weaver recebesse seu devido destaque, talvez fosse além de ser apenas uma figura interessante e de fraca relevância para o andamento do longa.

5. HAILEE STEINFELD (Bravura Indômita): Acho que nunca vi fraude maior do que essa. É inadmissível que Steinfeld seja classificada como coadjiuvante se ela aparece em todas as cenas de Bravura Indômita e ainda é o foco central da história. Apesar disso, a garotinha faz apenas o correto e está longe de apresentar, por exemplo, a força de Saoirse Ronan ou a simpatia irresistível de Abigail Breslin.

 

A ESQUECIDA

MARION COTILLARD (A Origem): O Oscar quebrou barreiras linguísticas e premiou Marion Cotillard como melhor atriz por Piaf – Um Hino ao Amor. No entanto, depois dessa coroação, escolheu não mais reconhecê-la. Em A Origem, encontramos o terceiro trabalho consecutivo da atriz que é esnobado pela Academia (os outros foram Inimigos Públicos e Nine). Uma pena. No filme de Nolan, ela brilha em cada cena que aparece e ainda carrega a principal carga emotiva da história. Sem falar que a francesa é dona da personagem mais magnética de A Origem. Liga não, Marion, nós te adoramos!

16 comentários em “Oscar 2011: Atriz Coadjuvante

  1. Só corrigindo: Amy Adams é sim um atriz de boas escolhas e recém descoberta. No entanto, não é tão jovem assim. A inglesa Kate Winslet tem, por exemplo, 35 anos, enquanto que Amy tem 36. Sei que é complicado comparar qualquer atriz da na faixa etária dos 30/45 anos com Kate, já que a inglesa se encontra num nível bem superior e com um currículo bem mais vasto que a maioria, mas colocar Amy como novata/jovem é um erro. É apenas uma boa/ talvez ótima atriz que não tinha oportunidades antes de Retratos de Família.

    Em relação a categoria, não achei tão fraca assim. No ano passado estava pior. Á exceção da vencedora, todas estavam num nível mediano. Isso sem contar a indicação absurda da Penélope Cruz!

  2. Matheus,

    E tem peixe grande prevendo também. No Gurus of Gold, tanto o Kristopher Tapley e a Anne Thompson fizeram previsões de última hora em favor de HBC.

  3. Julia, bom saber que tem alguém que também acha possível uma vitória de Helena Bonham Carter!

    Mayara, das coadjuvantes de “Cisne Negro”, gosto de verdade apenas da Barbara Hershey.

  4. Também acho que a categoria está fraca esse ano. E além de Marion, indicaria também as coadjuvantes de “Cisne Negro”. ;)

  5. Você tocou bem no ponto. O Oscar é, queira ou não, um ode à popularidade de um ator. Certas vezes, é possível que a popularidade gerada simplesmente pela atuação seja suficiente para garantir a vitória, mas são raras estas ocasiões.
    Na maioria das vezes, a imagem do ator fora das telas conta e muito para a vitória. Lembro-me do Eddie Murphy há alguns anos. Nunca foi bem visto em sua vida particular e, apesar de muitos apostarem na sua vitória, ele não conseguiu superar o efeito Norbit.
    E, principalmente no caso de atrizes, não tem nada pior do que ser alguém que se leva muito a sério, como parece ser o caso da Melissa Leo. A HBC, por sua vez, costuma ter sempre uma atitude blasé nas suas entrevistas, mas nunca de uma maneira que transmite egocentrismo ou um senso de auto-importância exacerbado. E faço minha sua opinião: Algo me diz que ela será beneficiada por isso!

  6. Julia, acho que está apertada pela falta de grandes interpretações. Como disse no meu texto, nenhuma das candidatas chega a impressionar… Acho que a imagem que os atores passam fora das telas é essencial. Sandra Bullock ano passado foi um exemplo. Todo mundo sabia que ela não merecia (acho que, inclusive, ela própria), mas ela levou tudo na esportiva, compareceu ao Framboesa para receber o prêmio de pior atriz e no discurso do Oscar até perguntou se ela realmente mereceu a estatueta hahaha Atores que não sabem vender bem a sua própria imagem (como é o caso da Melissa Leo com essas fotos cafonas que ela fez) precisam ter um desempenho muito poderoso pra vencer quem tem. E a Helena Bonham Carter é a que melhor está sabendo lidar com as suas aparições esse ano entre as indicadas. Algo me diz que ela será beneficiada por isso!

  7. Isso é verdade, mas por via das dúvidas é sempre bom ir com a tradução literal… De qualquer maneira, esta está se mostrando uma das corridas mais apertadas dos últimos anos, o que é interessante e dá um novo ar à premiação, nem que seja para termos material para discutir na semana final.

    Na sua opinião, o quanto a qualidade dos discursos apresentados fatora nos votos finais?

    Em particular em casos como este, ou quando Mickey Rourke, pra muita gente, perdeu o Oscar quando ganhou o BAFTA. O momento da HBC nesta corrida, que foi gerado, além do mérido de TKS, também pela sua excelente performance nos tapetes vermelhos/almoço da academia/discurso no BAFTA.

  8. Julia, o problema é que essas declarações são muito perigosas… Sempre é necessário cuidar o tom em que essas coisas são ditas. Pode até não ter sido a intenção dela falar mal, mas, do jeito que ela colocou, pode soar como deboche, ironia ou até mesmo seriedade…

  9. É uma análise interessante, mas discordo da sua opinião contra Reino Animal. O filme não segue os padrões americanos, mas é interessante.

    Não consigo apoiar totalmente a performance da Melissa Leo, que me parece forçada demais. No mesmo filme, Amhy Adams está melhor, e não me importaria com a HBC finalmente sendo reconhecida.

    Outra coisa, me parece que você utilizou a tradução bizarra na Ana Maria Bahiana nos comentários da Melissa Leo, que foram deturpados principalmente no que diz respeito à Amy Adams. No original:

    The night of the SAGs, I thanked [Amy], and I told her that I don’t know if I could do it if underneath the bright smile I sensed jealousy. She’s overjoyed for me. And I will be overjoyed for her when I hear her name called one of these days.

    Hailee Steinfeld I met in an airport. She was doing her pimping, er, I mean promoting in some town, with her mother. I can’t remember where she was heading, nor I. She is the real deal, and very dear and grounded. And Jacki Weaver I had met in New York and seen her beautiful, remarkable, awesome performance. At the luncheon I got to finally meet Helena Bonham Carter. She wouldn’t take my compliments. She was shoving me toward the Oscar statue, and I was trying to do-si-do her closer. She’s very playful and lovely, and I have the suspicion that she’s quite shy. Every single one of the very best ones I’ve met is so shy.

  10. Victor, eu não duvido nada que o Oscar queira reconhecer a Helena Bonham Carter. Ela é boa atriz, o papel é diferente do que ela está acostumada a fazer, ela venceu o BAFTA e ainda faz parte de um filme adorado por eles…

    Weiner, mas nem de longe a atuação da Melissa Leo em “O Vencedor” chega perto do que ela conseguiu fazer em “Rio Congelado”! Quanto a Hailee, a fraude dela é absurda porque ela aparece em TODO o filme. Já a situação de Kate Winslet em “O Leitor”, por exemplo, era mais compreensível. Pelo menos concordamos que a Melissa Leo tem que se dar mal na premiação por causa de suas atitudes =P

    Brenno, tenho uma espécie do bloqueio com a Hailee Steinfeld. Simplesmente porque não consigo considerá-la coadjuvante de jeito nenhum. Em alguns casos até dá pra entender essas loucuras do Oscar de trocar uma atriz de categoria. Mas, pelo menos pra mim, com Hailee não dá!

    Luís, como disse no meu texto, achei a categoria fraquíssima esse ano! E acho que, mesmo que a Marion não merecesse a indicação (o que não é o caso), bem que ela poderia ter sido lembrada por ter sido esnobada por “Nine” e “Inimigos Públicos” anteriormente. Já sobre a Amy Adams… Sempre gosto dela e considero a indicação dela por “O Vencedor” a menos merecedora de todas que ela já teve. Mas ficaria feliz se ela vencesse, já que gosto muito dela!

    Cristiano, idem para o que eu disse pro Weiner, então! =D

    Mateus, não estou levando muita fé em Hailee Steinfeld. Acho que esse “favoritismo” dela é coisa que o povo anda inventando hahaha

  11. Das indicadas, só vi Adams e Leo. E realmente espero que esta última, favorita, não vença. Em O VENCEDOR, ela e Christian Bale estão, no mínimo, com atuações irregulares. Abraçam a caricatura em vários momentos, com performances infladas de autocondescendência e exageradas. Já Adams é, de longe, a melhor coisa em O VENCEDOR. Assim, apesar dessas atitudes nada elogiosas de Melissa Leo, não torço por ela porque ela sequer é a melhor em seu filme. Minha *aposta* é em Steinfeld. Mas não emitirei opiniões, pois não vi as outras indicadas.

  12. Eu também tenho achado desnecessário todo esse comportamento dela, principalmente por causa das amostras já dadas de que ela é a potencial vencedora do Oscar. Atacar suas colegas de elenco é ridículo, acho que perder o Oscar por causa dessa atitude lhe seria um bom modo de ensino.

    Para mim, a preferida é AMy Adams, ainda que ache que essa seja a sua atuação indicada de menor impacto. Adoro a sua perfomance em Retratos de Família e eu a adoro igualment eno contexto de Dúvida. Honestamente, para mim, ela deveria ganhar esse Oscar e também deveria ter ganhado os outros dois pelos quais concorreu. Seria a única atriz com três indicações e três vitórias!

    Também acho um absurdo a indicação de Hailee Steinfeld. Acho péssimo quando indicam alguém numa categoria que não lhe diz respeito, como, por exemplo, Tymothy Hutton (como coadjuvante) em Gente como a Gente, e Reese Witherspoon (como protagonista) em Johnny e June!

    Honestamente, não vejo força na interpretação de Marion Cotillard. Para mim, ela deveria ter concorrido ano passado por Nine, mas jamais deveria concorrer esse ano por A Origem. Para mim, a lista tá boa desse jeito, mesmo tendo uma pessoa lead indicada como supporting.

  13. Não irei me surpreender se Melissa Leo vencer, mas hoje não consigo apostar nela como vencedora. Tanto no quesito aposta, quanto no quesito preferência pessoal, me divido entre Hailee Steinfeld e Helena Bonhan Carter. Hailee tem a seu favor carregar um filme inteiro nas costas diante de 3 atores respeitados na indústria. Já a Bonhan Carter leva para a festa o apoio britânico, que beneficiou Tilda Swinton, Marion Cotillard e Penélope Cruz nos últimos anos. Vamos ver no que vai dar.

  14. Bom, vamos ao que discordo de você (e não é pouco): a seleção é muito boa, e Melissa Leo está muito bem em Frozen River, mas pra mim foi uma atuação tão boa como essa, não melhor. Está se portando como uma completa idiota, e espero sinceramente que se dê mal dia 27 (até porque não é minha favorita).
    Minha preferida é Hailee Stainfeld, que você chama de fraude (uma fraude que funcionou bem para Timothy Hutton em 1980 e Kate Winslet em 2008 e torço pra que funcione com ela). Acho-a tão consistente como Saoirse Ronan em “Atonement” e bem melhor que Breslin em “Miss Sunshine”.
    Na verdade, chamar Reino Animal de pouco eficiente e estranho me parece heresia… Num cinema americano tão convencional, acho uma maravilha sermos presenteados com algo realmente interessante, como foi o caso. Aliás, nem sei como esqueceram esse filme pra indicar o fraco (e também indie) Inverno da Alma. E Jackie Weaver recebe espaço suficenete para criar uma ótima atuação e justificar sua nomeação ao Oscar.
    Agora, o que mais discordei: considerar a performance de Rush de notável excelência. Pra mim, ele tem uma composição banal e simplória, não merecia sequer ser cogitado (de lá receber a nomeação).
    Enfim, minha torcida é: 1) Steindfeld; 2) Weaver; 3) Adams; 4) Leo; 5) Bonham Carter.

  15. Melissa Leo aparentemente tá conseguindo derrubar muita gente nas apostas. E é uma das incertezas desse Oscar. Acho que Haille não tem força pra ganhar também. Adams seria aquele prêmio de reconhecimento de uma jovem atriz promissora e seria ótimo pra indústria, por isso acho que vai acabar levando. E não boto fé na Helena Bohan Carter não, acho que o papel dela de Oscar ainda tá por vir.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: