Melhores de 2010 – Figurino

Não adianta. Não consigo fugir do óbvio e deixar de celebrar outros figurinos que não sejam os de época. Alguns podem dizer que já se tornou clichê elogiar esses trabalhos ou que não existe mais originalidade nesse segmento. Pode até ser verdade, mas, pelo menos pra mim, os filmes de época continuam impecáveis no que se refere ao trabalho de figurinos. A Jovem Rainha Victoria não foge desse esquema e entrega uma roupagem excelente. Longe da extravagância visual (que eu adoro, admito) dos figurinos de Elizabeth – A Era de Ouro, as roupas criadas por Sandy Powell apostam na elegância sutil para reconstituir o guarda-roupa da rainha Victoria (Emily Blunt). Escolha mais do que acertada, uma vez que os figurinos encantam pelos pequenos detalhes e pela simplicidade de cores e acessórios.

BRILHO DE UMA PAIXÃO

Por um triz os figurinos de Brilho de Uma Paixão não ganharam nessa categoria. É aquele tipo de trabalho onde parece que os personagens estão constantemente trocando de figurinos só para chamar a atenção. Excetuando isso, Janet Patterson teve um trabalho muito satisfatória como figurinista, aproveitando-se dos mais variados estilos para compôr não apenas o lado visual do filme, mas também a própria personalidade dos personagens.

DIREITO DE AMAR

Não foi nenhuma surpresa ver que os figurinos de Direito de Amar eram impecáveis. Afinal, o que esperar das roupas do filme de um diretor que tem sua principal carreira profissional no mundo da moda? O longa de Tom Ford fez ótimas escolhas nesse segmento, desde o belo vestido que Charley (Julianne Moore) usa no jantar com George (Colin Firth) até aos mais previsíveis ternos e gravatas do protagonista. Tudo ideal e na medida: impecável, mas sem nunca saltar demais aos olhos ou ser extravagante.

EDUCAÇÃO

Traduzindo com precisão as roupas da Inglaterra dos anos 60, Odile Dicks-Mireaux fez um ótimo trabalho como figurinista de Educação. Reproduzindo desde os trajes colegiais de Jenny (Carey Mulligan) até as roupas mais sofisticadas usadas pelos personagens na glamourosa viagem à Paris, os figurinos foram uma peça fundamental para a reconstituição de época do filme de Lone Scherfig.

CHÉRI

Consolata Boyle deve ter o trabalho mais previsível entre os indicados nessa categoria. Nada do que podemos ver em relação aos figurinos de Chéri chega a ser mais impressionante. Contudo, é sempre bom ver trabalhos de época que, pelo menos, conseguem resultado satisfatório nesse setor. Apostando no básico para esse tipo de filme, a roupagem apresentada em Chéri está longe de ser dececpionante.

_

Escolha do público:

1. A Jovem Rainha Vitória (11 votos, 34.38%)

2. Direito de Amar (10 votos, 31.25%)

3. Educação (5 votos, 15.63%)

4. Brilho de Uma Paixão (4 votos, 12.05%)

5. Chéri (2 votos, 6.25%)

8 comentários em “Melhores de 2010 – Figurino

  1. Alexsandro, qual é o teu figurino favorito de 2010?

    Brenno, somos dois, então! Sempre aprecio demais esses figurinos.

    Weiner, nem pensei em colocar “O Garoto de Liverpool” na minha lista =P

    Mayara, que bom que você gostou de todos os meus selecionados =)

    Kamila, dois belíssimos figurinos.

    Rafael, a trilha de “Chéri” também é ótima!

    Reinaldo, obrigado pelo selo!

  2. Fico em dúvida entre “A Jovem Rainha Vitória” e “O Brilho de uma Paixão”, mas meu voto vai para o filme da Emily Blunt.

  3. Pra mim, THE YOUNG VICTORIA tem um figurino lindíssimo, mas acho pouco pessoal – as roupagens de BRIGHT STAR tem muito mais a dizer sobre os personagens, apesar de mais simples e menos luxuosos… Adorei os de Educação, Direito de Amar e… Lembro que indiquei o Garoto de Liverpool, o visual do protagonista era show!

  4. Acho que bem como 2009, 2010 não foi um ano de destaque para os figurinos no cinema. Sua seleção possui bons figurinos, pelo menos três deles se repetirão na minha lista, e o meu favoito daí é Brilho de Uma Paixão, apesar de ainda não achá-lo o melhor do ano nesse aspecto. Como você já tem consciência, escolher figurinos de época é até meio clichê, mas todo mundo faz. rsrs Não sou dos grandes fãs, prefiro os mais modernos, urbanos ou pelo menos que se afaste um pouco dessa definição de figurinos de época, o que esses da Sandy Powell são na essência. Sei, Brilho da Paixão também é, mas eis aí uma exceção. Também gosto bastante das peças exibidas em Educação, só achei um tanto limitadas, mas no geral são ótimas peças. Direito de Amar idem.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: