Querido John

The saddest people I’ve ever met in life are the

ones who don’t care deeply about anything at all.

Direção: Lasse Hallström

Elenco: Channing Tatum, Amanda Seyfried, Richard Jenkins, Henry Thomas, D.J. Cotrona, Cullen Moss, Gavin McCulley

Dear John, EUA, 2010, Drama, 108 minutos

Sinopse: Querido John conta a história de John Tyree (Channing Tatum) e de Savannah Curtis (Amanda Seyfried). Durante sete tumultuosos anos, o casal é separado pelas missões cada vez mais perigosas de John. Apesar de se encontrarem apenas esporadicamente, o casal mantém o contato por meio de uma enxurrada de cartas de amor.

Lasse Hallström nunca foi um diretor comercial. Ele sempre realizou produções autorais e que não tinham muito perfil de grande apelo popular. Foi, inclusive, celebrado em premiações por seu trabalho em Regras da Vida. Hallström, entretanto, nos últimos tempos, resolveu apostar em filmes de maior repercussão entre o grande público. Se em Sempre ao Seu Lado ele apostou no típico formato história-triste-de-cachorro, em Querido John o diretor resolve contar o velho estilo de romance açucarado. Hallström, portanto, está se desviando de suas habituais narrativas. Mas, nem por isso começou a apresentar filmes ruins.

Querido John possui exatamente aquilo que tem de tudo para conquistar jovens apaixonadas e deixar os marmanjos sem paciência no cinema. É uma história altamente clichê (mas nem por isso tratada dessa forma) e que nunca se desvia dos caminhos óbvios percorridos por tantas produções melosas desse estilo. Mas, é até um certo alívio, ao fim da sessão, chegar a conclusão que Lasse Hallström não realizou um filme insuportável. Longe de mim dizer que o filme não tem falhas e que é digno de grandes elogios. No entanto, não posso deixar de afirmar que o filme acertou no tom. Água com açúcar? Sim. Irritante? Não.

O que não deixa Querido John ser um filme melhor é exatamente a distância entre os dois personagens. A partir do momento em que John (Channing Tatum) vai para a guerra e se comunica com Savannah (Amanda Seyfried) por cartas, o roteiro perde a força. O romance dos dois parece não ter tanta força quando eles não estão juntos em cena e os momentos de John na guerra não são lá interessantes. Além das narrações amorosas sem originalidade das cartas, o filme chega num ponto em que não sabe se fará um drama ou um romance. Querido John, em sua essência, é romântico, mas, a partir de determinado momento, deixa de ter essa veia.

A única ressalva do elenco é o protagonista Channing Tatum. Fica visível que ele não é o ator ideal para o papel. Pode até ter o porte e o visual necessário para um romance teen, mas, ao contrário de sua companheira Amanda Seyfried, não possui talento algum. Tatum está sempre com a mesma expressão e não consegue dar qualquer abordagem para o personagem que vá além do óbvio. Mesmo que funcione com Seyfried, não consegue se sustentar quando está sozinho em cena. Além de Seyfried, Richard Jenkins também tem bom desempenho como o problemático pai de John. São por esses dois atores e pela direção na medida de Hallström que o filme vale a pena. De resto, mais do mesmo.

FILME: 7.0

14 comentários em “Querido John

  1. Lindo esse filme! Bom para refletir, se emocionar, chorar bastante! Na minha opinião, tanto Amanda Seyfried como Channing Tatum estavam ótimos nesse filme. Recomendo!

  2. todos os livros de nicholas sparks morre alguém no final.
    não achei a parte da guerra desinteressante, pelo contrário, faz parte da história. prefiro o livro do que o filme. visto que conta história toda e de uma maneira melhor.
    achei que os dois actores estão bem. e acho que todo mundo que fala que o tatum não é bom para lá e essas coisas é porque vocês não estão habituados a ver ele, numa personagem desse tipo. apesar de não gostar de filmes românticos, foi um dos melhores filmes que já vi. para mim o que mais me marcou foi a relação dele com o pai.

  3. Não percebo, esse filme fez-me chorar 3 vezes e uma amiga minha quando começou a chorar nunca mais parou até ao fim! O melhor romance que eu já vi de longe! Para mim (minha opinião) melhor filme dos ultimos anos. Discordo completamente com a tua opinião sobre o Channing Tatum.
    Par mim, nota máxima – 10.00! Só me apetece ver e rever e voltar a ver o filme de novo!

  4. Vinicius, o Tatum me deixou a impressão de completa inexpressividade.

    Vinícius, não acho o Hallström medíocre, só acho que ele realiza filmes que nunca são muito interessantes. Sempre ficam apenas no satisfatório.

    Luís, esse não está nem perto de ser parecido com o enjoativo “Um Amor Para Recordar”.

    Kamila, sei pouco sobre as histórias do Nicholas Sparks… Mas, não vou comentar nada sobre o final.

    Wally, eu pensava que “Querido John” ia ser um romance teen muito clichê, mas até que é legal.

    Kahlil, eu também gosto da Amanda Seyfried. Ela tem uma simpatia única!

    Luan da Van, não sei se a Amanda é uma das grandes revelações dos últimos tempos, mas, se escolher os projetos certos, com certeza tem futuro!

    Fael, o Tatum é muito fraco!

  5. Exatamente! Não tiro nenhuma palavra sobre o que você disse no último parágrafo sobre Channing Tatum. Ele é inexpressivo que some quando divide a tela com alguém. Não esperava nada desse filme, apenas mais um romance. Adorei o roteiro.

  6. Estou louco para assistir esse filme só pela Amanda Seyfried. Pra mim, uma das grandes revelações dos últimos tempos, além de ser absurdamente linda!

  7. Esperava comentários piores deste filme, mas tem muita gente elogiando – mesmo que pouco, como você.

  8. Eu tô com muita vontade de conferir “Querido John”. Adoro os filmes baseados nos livros de Nicholas Sparks e espero sinceramente que este tenha um final feliz. Cansei de chorar nos finais de filmes assim! rsrsrsrsrrs

  9. Eu gosto de filmes com essa temática, gosto da maneira simples – e muito fantasiosa – como são mostrados. Se você diz que não é irritante, então eu acredito que eu vá mesmo me entreter, porque odeio filmes românticos bestas (como Um Amor pra Recordar).

    Um colega viu e disse que é bem legal o filme e considerando a sua opinião, que é bem mais crítica que a dele, vou conferir essa obra. Um pouco de açúcar não faz mal a ninguém.

  10. Parece ser o típico filme que o Lasse Hallström costuma fazer, um diretor medíocre que até hoje não me conquistou. Quem sabe vejo no DVD…

  11. Matheus,

    Eu discordo de você. Acho que o Channing Tatum está bem no filme, o que não quer dizer que ele é um bom ator. Em compensação, concordo quando você fala da distância. Acho este o maior problema do filme, e também do livro de Nicholas Sparks.

    Eu sou fã das obras que ele escreve, mas mesmo quando ele procura narrar os momentos na guerra do seu personagem-título, o leitor pode ficar mais desinteressado (assim como acontece para quem viu o filme).

    É um bom entretenimento, nada mais que isso!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: