Filmes em DVD

Inspeção Geral, de Sidney Lumet

Com Glenn Close, Maggie Gyllenhaal e Ken Leung

Poderoso telefilme da HBO dirigido por Sidney Lumet que trata dos efeitos pós 11 de setembro. Mais especificamente sobre a forma como os governos passaram a interrogar pessoas da forma como bem entendem. É uma temática que O Suspeito se atrapalhou todo na hora de desenvolver e que Inspeção Geral tira de letra. Temos aqui uma trama calcada puramente em diálogos – que transitam entre tensão e drama com muita facilidade. Especialmente porque Lumet tem uma direção segura e Glenn Close e Maggie Gyllenhaal estão divinas. Elas não contracenam, mas dão um show à parte quando aparecem em cena. Pena que ambas as atrizes dialoguem com atores tão péssimos. Inspeção Geral só não alcaça total êxito por causa disso e de sua narrativa de alternâncias, que aborda duas histórias com exatamente os mesmos diálogos.

FILME: 9.0

Os Piratas do Rock, de Richard Curtis

Com Philip Seymour Hoffman, Bill Nighy e Kenneth Branagh

Richard Curtis é um dos profissionais mais confiáveis que existem. Ele não faz grandes filmes nem muito menos tem maiores pretensões comerciais, mas todos os seus filmes funcionam muito bem. Os Piratas do Rock não é diferente. O diretor orquestra um ótimo elenco numa divertida história permeada por muita música boa. Essa produção, que foi diretamente lançada em dvd e ainda tem uma pequena participação de Emma Thomspon, é uma agradáel surpresa que vale a pena ser descoberta.

FILME: 8.0

O Contador de Histórias, de Luiz Villaça

Com Maria de Medeiros, Jacqueline Obrigon e Paulinho Mendes

Impressionante como esses filmes menores e mais sutis passam despercebidos pelo público brasileiro. O Contador de Histórias tem traços bem sentimentais, algo diferente do que estamos acostumados a ver no cinema brasileiro dos dias de hoje. É fato que não é nada de excepcional, mas é um longa bem singelo e que, com sua minúcias, aos poucos vai conquistando o espectador. É fácil se envolver com a história dos dois protagonistas. O Contador de Histórias merece uma espiada.

FILME:8.0

Mrs. Harris, de Phyllis Nagy

Com Annette Bening, Ben Kingsley e Ellen Burstyn

Mais uma produção da HBO que traz um grande desempenho. Annette Bening está impecável como a protagonista de Mrs. Harris, uma mulher cheia de complicações emocionais e que matou o marido. Baseado em uma história verídica, o filme tem os seus problemas de ritmo, em especial porque se propõe a narrar tudo em flashbacks e com alguns depoimentos. Mas Annette valida a experiência, junto com o sempre ótimo Ben Kingsley. Mrs. Harris, portanto, é um trabalho de atores. São eles o grande destaque da produção.

FILME: 8.0

Retorno a Howards End, de James Ivory

Com Emma Thompson, Helena Bonham Carter e Anthony Hopkins

Esse foi o filme que deu o Oscar de melhor atriz para a excepcional Emma Thomspon. Contudo, Retorno a Howards End traz um ótimo trabalho não só de Thompson, mas de todo o elenco. O filme em si não é lá essas coisas, já que tem uma história não tão interessante – e que é narrada de forma não muita satisfatória, além de muitos personagens e alguns saltos no tempo. Mas é também um filme de típicas estruturas inglesas, o que por si só já é um atrativo. Portanto, apesar de não ser o grande filme que poderia ser, Retorno a Howards End é bem satisfatório.

FILME: 8.0

Crepúsculo, de Catherine Hardwicke

Com Kristen Stewart, Robert Pattinson e Taylor Lautner

Quem é viciadinho em Crepúsculo deve parar de ler aqui, os comentários não serão positivos. Durante muito tempo fugi desse longa, mas nos últimos dias finalmente criei coragem para conferi-lo. E ele é bem aquilo que eu esperava: bobinho, mal dirigido e sem história relevante. Mas o que mais me impressionou foi o incrível combate entre os atores para ver quem se sai pior. É um superando o o outro. Enquanto Kristen Stewart cai nas armadilhas de caras e bocas, Robert Pattinson consegue demonstrar uma absurda inexpressividade. Crepúsculo, portanto, é um romancezinho teen nada demais e que consegue ter um dos piores elencos de adolescentes da década.

FILME: 5.0

10 comentários em “Filmes em DVD

  1. Pingback: Poucas Cinzas « Cinema e Argumento

  2. Vinicius, grande mesmo \o/

    Brenno, que bom =D

    Reinaldo, assista a “Os Piratas do Rock”, é muito divertido!

    Robson, pois confira… é um filme bem sutil, diferente do que estamos a ver no cinema brasileiro – sempre fazendo estardalhaço com violência e favela nos filmes.

    Thiago, assim que eu for dar uma atualizada nos links aqui do blog, adicionarei o teu.

    Mayara, muito obrigado pela correção, já que eu jurava que era o Richard Linklater haha

    Kamila, a Annette Bening é perfeita para esse tipo de personagem!

    Hugo, as atrizes são realmente sensacionais!

  3. Assisti “Inspeção Geral” quando tinha HBO…rs… e o filme passou ainda com o título original.
    Realmente o trabalho da dupla de atrizes e a direção de Lumet são sensacionais. E realmente os atores estão abaixo na qualidade de interpretação, mas isso não atrapalha este ótimo filme, que mostra o medo absurdo dos americanos após 11/09.

    Abraço

  4. Comentando aqueles que vi:

    INSPEÇÃO GERAL: Um dos primeiros filmes que eu vi a tratar da temática pós-Iraque, das investigações, do cerceamento de liberdade. Vale pelo show de atuação de Maggie Gyllenhaal e Glenn Close. As duas estão sensacionais!

    O CONTADOR DE HISTÓRIAS: Uma das boas surpresas de 2009! O filme poderia cair prum lado mais melodramático, mas isso não acontece. Conta uma linda história de vida.

    MRS. HARRIS: Lembra muito “Bernard e Doris” e vale também pela Annette Bening, que funciona muito bem nesse tipo de personagem.

    CREPÚSCULO: Adoro esse filme, principalmente porque se apoia no romance entre Bella e Edward. Adoro o clima de romance, a euforia de se descobrir apaixonado.

  5. Dos que vi:

    “Retorno a Howards End”: Um filme visualmente belo, e precisa de uma revisão.

    “Crepúsculo”: Um passatempo, e só. Prefiro o livro e não curto Robert Pattinson.

    E, desculpe-me, se me permite corrigir, o diretor de “Piratas do Rock” não é Richard Linklater e sim, Richard Curtis, que dirigiu “Simplesmente Amor”.

    ;)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: