Globo de Ouro 2013: resultados

globefoster

É comum uma cerimônia de premiação ser cansativa. Principalmente uma como o Globo de Ouro, que distingue drama de comédia e ainda distribui prêmios entre cinema e TV. É, também, uma cerimônia que não tem espaço para ser um espetáculo: tudo acontece em um local onde as celebridades, dispostas em mesas de acordo com filmes/séries, jantam e bebem, como em um encontro mais informal. No caso do Globo de Ouro, portanto, os vencedores fazem toda a diferença. E esse ano eles fizeram: na comemoração de seus 70 anos, poucas vezes a Hollywood Foreign Press apresentou um resultado tão coerente e surpreendente ao mesmo tempo.

O primeiro prêmio da noite já foi um susto: nada de Philip Seymour Hoffman (vencedor do Critics’ Choice Awards) ou do favorito Tommy Lee Jones (de um má vontade insuportável durante a festa), mas sim Christoph Waltz, por Django Livre. E se a surpresa mais decepcionante da noite foi na categoria de animação (com os ótimos FrankenweenieDetona Ralph na disputa, pra quê puxar o saco da Pixar com o mediano Valente?), o resto foi do previsível inofensivo ao diferente entusiasmante. Interessante ver como os prêmios de Django Livre vão influenciar a award season, descobrir se a trajetória bem sucedida de Os Miseráveis para por aqui ou se outras premiações vão continuar tão harmônicas como essa (quem mais levou foi o musical de Tom Hooper, com apenas uma estatueta a mais que Argo Django Livre).

O Oscar, agora, deve estar se remoendo de remorso. Os vencedores do Globo de Ouro já tinham sido selados antes do anúncio das escolhas da Academia (o que anula qualquer relação entre os dois), mas a vitória de Argo, apesar de parecer um divisor de águas na award season, diz menos do que parece. Tomo como exemplo mais recente o excelente Desejo e Reparação, que ganhou o Globo de Ouro e o BAFTA, mas foi completamente esnobado pelo Oscar (não foi indicado à direção e só ganhou um prêmio de trilha sonora). O (merecido) sucesso de Argo no Critics’ Choice e no Globo de Ouro não muda o favoritismo de Lincoln, até porque os votantes do Globo são da imprensa estrangeira (o filme de Spielberg tem uma história dirigida ao público estadunidense) e, óbvio, o Oscar não vai dar o braço ao torcer. Eles nunca vão reconhecer que deixaram Argo de lado em função do preconceito com Ben Affleck.

Mas no meio dessa cerimônia, que ainda contou com uma boa apresentação de Tina Fey e Amy Poehler (e elas mereciam muito mais tempo tem cena!), o grande momento não ficou com uma concorrente de alguma categoria do Globo de Ouro. E sim com Jodie Foster, que compareceu à cerimônia para receber o Cecil B. Demille em homenagem à sua carreira. Se a lembrança poderia parecer precoce, logo a atriz surpreendeu. Com um discurso extremamente humano (vários na plateia estavam em lágrimas!) sobre carreira e amigos, ela foi de uma elegância extrema ao falar sobre sua vida íntima. Fez um discurso de veterana mesmo. Aliás, bem pelo contrário: fosse outro astro empoeirado esquecido pelo tempo, faria piadas internas e só estaria ali relembrando velhos tempos que a nova geração pode não conhecer tão bem. Jodie Foster, seja pelo belo discurso e pela merecida homenagem, certamente resumiu o que foi o Globo de Ouro: um verdadeiro acerto! Que continue assim. Abaixo, a lista completa de vencedores:

CINEMA

MELHOR FILME DRAMA: Argo
MELHOR ATRIZ DRAMA: Jessica Chastain (A Hora Mais Escura)
MELHOR ATOR DRAMA: Daniel Day-Lewis (Lincoln)
MELHOR FILME COMÉDIA/MUSICAL: Os Miseráveis
MELHOR ATRIZ COMÉDIA/MUSICAL: Jennifer Lawrence (O Lado Bom da Vida)
MELHOR ATOR COMÉDIA/MUSICAL: Hugh Jackman (Os Miseráveis)
MELHOR ANIMAÇÃO: Valente
MELHOR FILME ESTRANGEIRO: Amor (Áustria)
MELHOR ATRIZ COADJUVANTE: Anne Hathaway (Os Miseráveis)
MELHOR ATOR COADJUVANTE: Christoph Waltz (Django Livre)
MELHOR ROTEIRO: Django Livre
MELHOR TRILHA SONORA: As Aventuras de Pi
MELHOR CANÇÃO ORIGINAL: “Skyfall” (007 – Operação Skyfall)

TV

MELHOR SÉRIE DRAMA: Homeland
MELHOR ATRIZ DRAMA: Claire Danes (Homeland)
MELHOR ATOR DRAMA: Damian Lewis (Homeland)
MELHOR SÉRIE COMÉDIA/MUSICAL: Girls
MELHOR ATRIZ COMÉDIA/MUSICAL: Lena Dunham (Girls)
MELHOR ATOR COMÉDIA/MUSICAL: Don Cheadle (House of Lies)
MELHOR MINISSÉRIE/TELEFILME: Virada no Jogo
MELHOR ATRIZ EM MINISSÉRIE/TELEFILME: Julianne Moore (Virada no Jogo)
MELHOR ATOR EM MINISSÉRIE/TELEFILME: Kevin Costner (Hatfields & McCoys)
MELHOR ATRIZ COADJUVANTE EM SÉRIE/MINISSÉRIE/TELEFILME: Maggie Smith (Downton Abbey)
MELHOR ATRIZ COADJUVANTE EM SÉRIE/MINISSÉRIE/TELEFILME: Ed Harris (Virada no Jogo)

7 comentários em “Globo de Ouro 2013: resultados

  1. A foto da Jodie Foster ilustra bem o que foi o Globo de Ouro. Muito criticada em alguns anos, a premiação surpreendeu com suas escolhas neste ano. Essa mudança de datas e divergência de escolhas em relação ao Oscar deu mais personalidade ao prêmio da imprensa estrangeira .

    Outro destaque foi Julianne Moore, sempre merecedora de aplausos e vendedora pelo ótimo desempenho em ” Game Change ”. Quanto aos prêmios de TV, o Globo de Ouro ousa mais que o Emmy. Vide a categoria de melhor série cômica.

  2. Muller, acho que, em “The Paperboy”, a Nicole encanta mais pela personagem que criou do que pelo que desenvolveu ao longo do filme. Sem falar que “The Paperboy” é horrível, o que não a ajuda em nada!

    Stella, a Jodie Foster arrasou, né? Quanto aos filmes, é uma pena que seja a mesma coisa todo santo ano: uma eterna demora para eles chegarem por aqui! Abraço!

    Mayara, não acho que ela seja nova… O currículo dela é de respeito! Acho que é isso que deveria ser levado em conta. E o discurso dela deixou o de muitos veteranos no chinelo. Sem falar que nem papel na mão ela tinha. Foi tudo de cabeça! Fiquei simplesmente impressionado.

    Robson, exatamente! Só espero que não deixem a peteca cair nos próximos anos…

  3. Realmente, acho a Jodie Foster nova para ganhar um prêmio como esse pela carreira, mas o discurso dela foi sensacional, digna de um vencedora mesmo. Além de Tina, Amy e Jodie, também destaco Kristen Wiig e Will Ferrell. E a cara de bunda do Tommy Lee Jones…. kkkkkkk.

  4. Ontem só deu para assistir ao tapete vermelho. Mas hoje fui lá conferir o discurso da Jodie Foster e fiquei emocionada. Quanto aos filmes, Matheus, só Deus sabe quando terei a felicidade de conferir. Adoro me atualizar no Cinema e Argumento! Um abraço, S.

  5. Pingback: Globo de Ouro 2013: resultados « …INVENTO UM CAÍS.

  6. Acho uma pena a Nicole Kidman ter sido ignorada nessas premiações. A recepção ao Paperboy apagou as chances dela nessa categoria de coadjuvante. A Anne Hathaway se saiu muito bem mas a Kidman tem um papel mais bem trabalhado e que tinha tudo pra cair na caricatura. A personagem oscila entre momentos divertidos, ridículos e de dar pena. É um prazer vê-lá em cena. E mesmo o filme sendo irregular, não dá pra reclamar do desempenho dos atores. Todos se saíram bem. Mas não tiro a razão em ignorarem o filme. Aquela pegada meio trash, meio “what the fuck?” espantou geral rs.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: