Na coleção… Harry Potter e a Câmara Secreta

Em Harry Potter e a Câmara Secreta, vários aspectos do longa anterior, A Pedra Filosofal, foram aprimorados. Agora, a história já deixou de ser uma mera apresentação de personagens e situações para dar espaço à construção de personagens e ao desenvolvimento de histórias. Porém, o resultado é inferior ao primeiro filme, uma vez que o diretor Chris Columbus se repete demais atrás das câmeras. Em A Câmara Secreta, Harry Potter (Daniel Radcliffe) retorna à escola de magia e bruxaria de Hogwarts já com o alerta de que coisas terríveis vão acontecer por lá. E alguns dias são o suficiente para que o jovem bruxo veja pessoas sendo petrificadas e grandes ameaças – o que, claro, desperta o seu senso de herói para procurar a solução dos tais mistérios.

O livro homônimo de J.K. Rowling não é um dos mais interessantes da saga, mas o roteirista Steve Kloves conseguiu fazer um bom trabalho de adaptação, tornando a história relativamente mais interessante do que na obra original. O problema, aqui, é que Chris Columbus – diretor muito alegórico e “inocente” – não combina com a trama. Por isso, Harry Potter e a Câmara Secreta tem frequentes problemas de ritmo vindos da eterna vontade do diretor de querer ser o mais fiel possível na construção do universo para agradar público-alvo da época. Columbus, apesar da história mais sombria (adjetivo usado incansavelmente para descrever os próximos longas), não quer deixar de priorizar, uma vez ou outra, os cenários coloridos, os seres fantásticos e personagens que aparecem mais para lembrar o livro do que para acrescentar algo de fato ao enredo (o jovem fotógrafo, Colin Creevey, é um exemplo).

Assim, A Câmara Secreta é repleto de excessos, algo que se reflete principalmente na duração excessiva (é o filme mais longo da franquia). Talvez, isso seja consequência da produção apressada do filme, uma vez que a continuação estreou já um ano depois do primeiro longa. Não é raro ficar com a sensação de que A Câmara Secreta foi filmado na íntegra junto com A Pedra Filosofal. Tais detalhes, por outro lado, passam quase despercebidos pelos fãs de Harry Potter, porque esse segundo capítulo, apesar de carente de uma direção mais firme, aprimora vários aspectos que são fundamentais para o futuro da saga: o laço de amizade entre o trio principal é selado de uma vez por todas nesse volume, qualquer resquício de insegurança quanto à construção do universo mágico de Hogwarts foi apagado e a parte técnica se mostra cada vez mais consolidada.

Harry Potter e a Câmara Secreta também foi um filme de despedidas. Primeiro, de Richard Harris, responsável por eternizar a figura de Alvo Dumbledore – e que me desculpe Michal Gambon, que é um excelente ator e viria a assumir o papel depois, mas Harris é imbatível como o diretor de Hogwarts. E segundo de Chris Columbus, que deixou o cargo de diretor no momento correto (no próximo volume, seria substituído pelo mexicano Alfonso Cuarón). Como um filme de transição, A Câmara Secreta cumpre o seu papel, e com direito a gratas surpresas como Kenneth Branagh, impagável na personificação do professor Gilderoy Lockhart. Já se analisado separadamente, o filme não é um primor de segurança e personalidade. Se fosse um pouco mais objetivo e menos formal em certos aspectos (notem como o arco do mistério é devidamente esmiuçado, com direito até a discursos explicativos do vilão no confronto final), o filme conseguiria ser mais autoral e ir além do apenas atisfatório. Os fãs, entretanto, não saem decepcionados: A Câmara Secreta é extremamente fiel em sua adaptação. E isso, para o público-alvo da época, era essencial.

FILME: 8.0

2 comentários em “Na coleção… Harry Potter e a Câmara Secreta

  1. Como disse no seu post anterior sobre um filme dessa série, acho os longas dirigidos por Chris Columbus os mais fracos da série. Não conheço os livros da JK Rowling, então não entro nos méritos da adaptação cinematográfica, mas, como filme, “A Câmara Secreta” é muito fraco mesmo e evolui pouco ou quase nada em termos de qualidade, especialmente se comparado ao filme anterior da série.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: