Filmes em DVD

Como Treinar o Seu Dragão, de Dean DeBlois e Chris Sanders

Com as vozes de Jay Baruchel, Gerard Butler e America Ferrera

Uma boa surpresa vinda da Dreamworks, que parecia redimida a viver das fracassadas continuações de Shrek. Ao contrário das últimas aventuras do ogro verde, Como Treinar o Seu Dragão é interessante do início ao fim e vai além dos meros personagens simpáticos. Essa animação da dulpa Dean DeBlois e Chris Sanders pode até trazer algumas lições batidas e uma história cheia de conflitos repetidos, mas é bom constatar que a equipe lidou com isso da forma mais agradávei possível. Ou seja, Como Treinar o Seu Dragão não é o estouro que muitos apontam, mas, sem dúvida, é uma animação super recomendável!

FILME: 8.0

Brilho de Uma Paixão, de Jane Campion

Com Abbie Cornish, Ben Whishaw e Paul Schneider

Ainda existem bons filmes de época sobre amores cheios de poesia? Sim. Brilho de Uma Paixão é um deles. Podemos encontrar nesse filme de Jane Campion o tradicional estilo narrativo desse tipo de história e algumas resoluções bem previsíveis. Mas quem gosta do formato certamente vai apreciar o que esse filme tem a oferecer. Já quem não consegue embarcar pode se incomodar com o ritmo lento e a falta de inovação. Entretanto, Brilho de Uma Paixão funciona como romance e ainda traz uma excelente interpretação de Abbie Cornish, bem como um excelente trabalho técnico – principalmente no que se refere aos figurinos. Resumindo: um filme que acerta em cheio no gosto dos apaixonados por filmes de época e romances intelectuais.

FILME: 8.0

Recontagem, de Jay Roach

Com Kevin Spacey, Tom Wilkinson e Laura Dern

Outro satisfatório telefilme da HBO, que tem se especializado em reunir nomes notáveis para suas produções. Mesmo que traga Kevin Spacey, Tom Wilkinson e Laura Dern em bons momentos (a última impecável na sua ótima caricatura), Recontagem é um filme mais de roteiro do que de atuações. Narrando toda a roubalheira que foi a eleição de George W. Bush nas eleições de 2000, o longa de Jay Roach utiliza uma estrutura bem acadêmica para desenvolver a história. Isso, inclusive, tira um pouco do ritmo da história, que, em diversos momentos, torna-se cansativa e repetitiva. Mas a boa notícia é que Recontagem tem uma trama que sempre prende o espectador. Todos nós queremos saber os bastidores de toda aquela confusão nas eleições. E esse é o maior mérito do filme.

FILME: 8.0

Terapia do Amor, de Ben Younger (revisto)

Com Uma Thurman, Meryl Streep e Bryan Greenberg

Foi com esse filme que Meryl Streep começou a sua atual onda de comédias. O início dessa fase foi positivo, uma vez que ela já demonstrava muita naturalidade e desenvoltura para o humor em Terapia do Amor. Ela não é a estrela do filme, mas conseguiu brilhar lado a lado junto com a verdadeira protagonista, Uma Thurman (que aqui está em uma interpretação bem satisfatória). Terapia do Amor é previsível e fala sobre alguns temas que já foram trabalhados à exaustão nas comédias românticas. Mas é difícil resistir ao ótimo trabalho de Meryl e Uma nesse longa simpático e que, inclusive, possui um final bittersweet e até mesmo maduro para esse tipo de história.

FILME: 7.5


Tron – Uma Odisséia Eletrônica, de Steven Lisberger

Com Jeff Bridges, Bruce Boxleitner e David Warner

Digam o que quiser (incluindo que os efeitos foram ótimos para década e que a concepção visual foi ideal para a época do lançamento), mas Tron – Uma Odisseia Eletrônica é um filme que não soube envelhecer. O trabalho do diretor Steve Lisberger ficou parado no tempo e hoje tem pouco a mostrar em valores cinematográficos e até mesmo tecnológicos. A história não poderia ser mais simples e se o recente Tron – O Legado consegue tapar os buracos do roteiro falho com o uso extraordinário de efeitos, esse filme original não consegue porque simplesmente não tem qualquer tipo de impacto nos dias de hoje. Portanto, fica fácil evidenciar os problemas desse trabalho mediano e que não passa de apenas uma boa ideia.

FILME: 6.5

Nine, de Rob Marshall (revisto)

Com Daniel Day-Lewis, Marion Cotillard e Penélope Cruz

Em uma revisão, Nine caiu no meu conceito. Mas não esqueçam: acho que o filme está longe de ser esse horor que todos apontam. Rob Marshall sempre foi um péssimo diretor (não sei o que enxergam de especial no igualmente irregular Chicago) e esperar que Nine fosse o musical da década era pura ilusão. O filme impressiona com a quantidade de atores talentosos (e o elenco é, sem dúvida, um destaque), mas é uma pena que todos os atores sejam tão mal aproveitados em participações passageiras. A única que consegue se sobressair e realmente ter momentos de puro destaque é a francesa Marion Cotillard, que é o coração do filme e que tem os números musicais mais interessantes. Era Marion que merecia reconhecimento por esse filme, e não Penélope Cruz, que está apenas satisfatória mas que acabou recebendo, inexplicavelmente, indicações a diversos prêmios. Nine, no final das contas, sofre por não ter um argumento consistente nem uma história sequencial. Tudo parece solto e com clipes musicais mal costurados.

FILME: 6.0

O Sequestro do Metrô 123, de Tony Scott

Com Denzel Washington, John Travolta e James Gandolfini

Não sei como um bom ator como Denzel Washington resolveu resumir sua atual carreira a esses filmes de ação/suspense de segunda categoria. O Sequestro do Metrô 123 é previsível do início ao fim, apostando nas mais clichês escolhas desse tipo de produção. Todo mundo sabe o que vai acontecer e como cada cena vai se suceder. Denzel parece muito acomodado e nem parece se esforçar, como se soubesse que está participando de um filme sem importância. O problema, no entanto, é que John Travolta acha que está arrasando com um personagem caricato e que o ator faz questão de enfeitar com muitos exageros. Tony Scott e Denzel Washington já haviam trabalhado juntos anteriormente e agora chegam aos cinemas com Incontrolável. A amizade dos dois deve ser forte, porque, se depender do que vimos aqui, estamos prestes a encontrar uma dupla que só faz filmes sem emoção e datados como O Sequestro do Metrô 123.

FILME: 5.5

7 comentários em “Filmes em DVD

  1. Cristiano, eu não consegui ter qualquer tipo de sentimento com “O Sequestro do Metrô 123”. Pra mim, foi um filme completamente indiferente!

    Weiner, tu foi muito malvado com “Terapia do Amor”. Ah, vai, é um filme legal ^^

    Otavio, também é o meu favorito dessa lista!

    Natalia, o primeiro “Tron” é bem mais ou menos…

    Roberto, “Recontagem” é bem interessante, vale a pena conferir!

    Luis Galvão, não adoro”Nine” (numa revisão ficou ainda pior), mas acho que está longe de ser esse horror que dizem…

  2. Eu também acho as críticas à Nine muito duras (apesar de não ser nenhuma obra-prima). Gosto muito de Sequestro do Metrô 123 e Tron. Voc~e é a terceira pessoa que fala bem de Recontagem e eu ainda não tive a a oportunidade de vê-lo (já passou inúmeras vezes na HBO). Preciso corrigir essa injustiça!

  3. Como treinar o seu Dragao é mto fofo! e qdo eu assisti nao botava mta fé.

    Brilho de uma Paixao parece ser mto bom, todos falam bem dele, ainda nao conferi.

    Vc deu uma nota ate que boa para TRON. Falaram tao mal dele que eu nao tinha me animado pra ver…. rs

    Abs!

  4. Alguns dos filmes ainda não conferi, Matheus! =(
    Dos que assisti:
    * Brilho de Uma Paixão: produção requintadíssima, fotografia versátil e fabulosa, roteiro envolvente (embora use de recursos estilísticos em excesso) e atuações inesquecíveis. Nota 8,5
    * Terapia do Amor: uma das atuações de Meryl que menos me agradam, acho até que Uma Thurman tem maior brilho. A história em si é mais do mesmo. Nota 4,0
    * Nine: um banho de água gelada, num roteiro perdido e superficial (tentar adaptar 8 1/2 para um musical só podia dar nisso). Algumas boas músicas, como Cinema Italiano, Be Italian e Take it All, além da linda Marion Cottilard, salvam-no da tragédia total. Nota 3,5
    *Sequestro Metrô 123: a cara de Tony Scott, com bastante tensão, mas um roteiro realmente bem decepcionante. Nota: 3,0
    Ab!

  5. Eu gosto muito de ‘Como treinar o seu dragão’. Acho incrível. Tanto que já vi três vezes. Ao lado de ‘Toy Story 3’, é a melhor animação do ano… nota 8,5!

    Considero ‘Brilho de uma paixão’ um grandioso pequeno filme, tão lindo…tão tocante e belo. É uma poesia filmada! Expressa. Pra ele dou nota 9,0.

    ‘Terapia do Amor’ é bem bobinho, fraquinho, mas até vale conferir pelo elenco mesmo. Nota 6,5

    Também acho ‘Chicago’ irregular, na realidade: o filme só presta pela inspirada composição de Catherine Zeta-Jones. Acho as escolhas de Renee Zellwegger e Richard Gere equivocadas…sem talento vocal e simpatia, se fosse outros atores…ah, o filme seria supremo! Já pensou em Hugh Jackman e Marion Cotillard no lugar dos dois? hum…
    ‘Nine’ nem é ruim mesmo como pintam, mas não gosto do filme.

    Achei ‘O Sequestro do Metrô 123’ TENSO! O filme convenceu! Pelo menos pra mim… Nota 7,0

    Abraço

Deixe uma resposta para Roberto Queiroz Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: