Enrolados

Does your mother deserve it? No. Would this break her heart and crush her soul? Of course, but you just got to do it.

Direção: Byron Howard e Nathan Greno

Com as vozes de Mandy Moore, Zachary Levi, Donna Murphy, Ron Perlman, M.C. Gainey, Jeffrey Tambor, Brad Garrett, Richard Kiel

Tangled, EUA, 2010, Animação, 100 minutos

Sinopse: Flynn Ryder (Zachary Levi) é o bandido mais procurado e sedutor do reino. Um dia, em plena fuga, ele se esconde em uma torre. Lá conhece Rapunzel (Mandy Moore), uma jovem prestes a completar 18 anos que tem um enorme cabelo dourado, de 21 metros de comprimento. Rapunzel deseja deixar seu confinamento na torre para ver as luzes que sempre surgem no dia de seu aniversário. Para tanto, faz um acordo com Flynn. Ele a ajuda a fugir e ela lhe devolve a valiosa tiara que tinha roubado. Só que a mamãe Gothel (Donna Murphy), que manteve Rapunzel na torre durante toda a sua vida, não quer que ela deixe o local de jeito nenhum.

No texto que escrevi para Encantada, comentei que a infância dos dias de hoje não é mais a mesma e que histórias clássicas de princesas já não encantam mais as crianças como antigamente. Três anos se passaram desde que fiz meu post sobre Encantada e ainda permaneço com essa visão. Mas se com o filme de Kevin Lima a Disney parecia estar querendo abraçar um novo estilo de contar histórias sobre princesas, com Enrolados o estúdio volta ao convencional. E é exatamente por ter essa estrutura tão “clássica” que o filme da dupla Byron Howard e Nathan Greno funciona.

Não sei até que ponto ou qual a faixa etária que vai abraçar o jeito Enrolados de contar história. Ainda assim, é sempre gratificante ver a Disney apostando no bom e velho jeito de mostrar a jornada de uma princesa solitária que, de repente, está envolvida com um sujeito que é completamente diferente dela mas que, depois, vai roubar seu coração. Sem falar, claro, dos vilões bem definidos e que executam bem os seus papéis. Ou seja, Enrolados não agrada aqueles que não têm mais paciência para esse tipo de história. Deve ser conferido exclusivamente por aqueles que estão dispostos a acompanhar um enredo assim.

Trazendo as habituais músicas de Alan Menken (que aqui são bem simples, mas, como sempre, efetivas), o filme todo é cheio de carisma. Não só no que se refere aos personagens engraçados, mas também ao próprio modo como cada cena se desenvolve. Longe de ser uma animação marcante ou sequer excepcional em algum aspecto, Enrolados é uma homenagem aos tipos de história que fizeram tanto a Disney dar certo. Uma homenagem que tem suas obviedades, é verdade, mas que nunca deixa de divertir ou de fazer jus ao estilo narrativo proposto pelo estúdio.

FILME: 8.0


7 comentários em “Enrolados

  1. James Lee, é exatamente por causa disso que gostei de “Enrolados”!

    Weiner, até hoje não assisti “A Princesa e o Sapo”. E, para te falar a verdade, nem tenho vontade… =P

    Mayara, eu também gosto de “Bolt”!

    Stella, é tão bom quando encontramos pessoas que compartilham da nossa paixão pela sétima arte, né? Mesmo que elas estejam muito distantes… =)

    Kamila, pensamos a mesma coisa sobre “Enrolados”!

    Otavio, eu detestei o trailer e meio que fui ver esse filme com a pulga atrás da orelha… Mas foi muito bom ser surpreendido!

  2. Adorei o filme! Pra mim foi uma surpresa, porque achei o trailer com cara de bobagem, a típica animação centrada em personagens malandros, vagabundos, piadistas, como faz a DreamWorks. Mas, felizmente, isso é Disney!

    Abs!

  3. Eu acho que este filme retoma muitos dos elementos clássicos das animações da Disney. É um filme moderno, mas muito à moda antiga, que fala sobre valores, essencialmente, que estão perdidos no dia de hoje. Mas, você chegou no ponto certo ao falar que a história tem carisma demais. Esse filme envolve a gente de uma forma. Adorei mesmo!

  4. Matheus, estava relendo seu ‘Agradecimento Especial’, que acho especialmente tocante pela menção à sua avó Clara. Esse vínculo avos-netos é delicioso, um sentimento de sermos amados incondicionalmente. Assim me sentia com minhas avós.

    Mas quem incentivou meu amor pelo cinema foi meu pai. Até hoje é o tema preferido de suas conversas, embora ele faça críticas severas ao cinema moderno… Meu irmão Carlos fazia o papel do seu amigo Acauã e, quando partiu para outras terras, fiquei feliz de encontrar na internet alguns blogueiros apaixonados por cinema. Com vocês aprendo e compartilho esse amor das nossas vidas.

  5. Muito bacana ver a Disney “de volta” a trazer desenhos bem-feitos, independente. “Bolt” é um belo exemplo. Estou curiosa, ainda mais pela trilha do Alan Menken. ;)

  6. Eu sou fã ardoroso do “velho jeito Disney de entreter”. Já estava sentindo falta deste tipo de história de princesa, pra falar a verdade – vale dizer que o próprio “Princess and Frog” não correspondeu à esta expectativa, provavelmente pelo local em que foi ambientado. Tenho lido boas críticas a respeito de “Enrolados”, é uma das minhas prioridades para os próximos dias!

  7. Gostei de “Enrolados” e de como a Disney tratou este filme. Bom ver que a ‘magia’ presente em antigas produções ainda exista nos dias de hoje!

Deixe uma resposta para stella Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: