Juno

Direção: Jason Reitman

Elenco: Ellen Page, Jennifer Garner, J.K. Simmons, Allison Janney, Michael Cera, Jason Bateman

EUA, 2008, Comédia, 105 minutos, 10 anos.

Sinopse: Quando a adolescente Juno (Ellen Page) aos 16 anos de idade descobre-se grávida do namorado (Michael Cera), ela decide procurar pais adotivos para o filho que não deseja ter. Contando com o apoio de seu pai (J.K. Simmons) e de sua madrasta (Allison Janey), Juno entrará em uma jornada sobre qual a importância de crescer e superar os tombos da vida.

Logo quando Juno começou a fazer sucesso nas premiações, o público considerou essa produção independente como o Pequena Miss Sunshine de 2008. Qualquer comparação com o bem-sucedido filme de Jonathan Dayton e Valerie Farris é inútil, uma vez que Juno se difere totalmente, com exceção na aura de comédia indepentente com rumo à carreira de produção cult no futuro. A segunda incursão do diretor Jason Reitman no cinema (o primeiro foi o bom Obrigado Por Fumar) trouxe grandes frutos para a equipe envolvida. O filme recebeu quatro indicações ao Oscar e é favorito para levar o importante prêmio de roteiro original.

Sem dúvida alguma, Juno veio dar continuidade ao efeito que Pequena Miss Sunshine criou ano passado: o de que filmes baratos e independentes podem sim ser melhores do que produções caras e grandiosas. Durante todo o filme fica claro essa intenção, porque o roteiro tem um charme único, um humor muito sincero e um caráter inofensivo. Se eu tivesse que dizer a razão de toda a badalação em torno dessa comédia seria a sua simplicidade. Nada é grosseiro, clichê e muito menos forçado. A roteirista Diablo Cody (em sua estréia no cinema como roteirista) transportou um tema pesado – a gravidez na adolescência – para um tratamento agradável, abrangendo todos os públicos, que certamente irão se envolver com a jornada rumo à maturidade da protagonista.

Óbvio que para um filme como esse, uma protagonista carismática e competente é necessária. A escolhida da vez é Ellen Page, que anteriormente havia mostrado competência no péssimo Menina Má.Com e que aqui tem a verdadeira chance de alçar vôo em sua carreira. A jovem atriz de 20 anos se mostra confortável e muito segura no papel, conseguindo segurar tranqüilamente as rédeas da ótima personagem e merecendo sua indicação ao prêmio da Academia. Mas, não estaria ela interpretando a si mesma? O elenco de suporte não possui maiores destaques, tendo como coadjuvantes Allison Janney (a namorada de Meryl Streep em As Horas) e J.K. Simmons. Quem mais chama a atenção é Jennifer Garner, muito simpática e em bom desempenho.

Um outro aspecto que me deixou bastante satisfeito foram as canções, agradáveis e encantadoras. Por mais que sejam utilizadas em excesso, combinam perfeitamente com cada momento e com cada cena. Apesar de todos esses meus elogios, não achei Juno tão original assim. O sucesso e o encantamento em volta do filme devem-se apenas ao grande poder de conquistar com sua simplicidade. Até achei bastante estranho a Academia ter dado tanta ênfase para esse filme em um ano tão concorrido (absurdo Joe Wright ter sido eliminado da lista de direção por Desejo e Reparação e ter “cedido” o lugar para Jason Reitman, por exemplo). Juno, com certeza, vai achar seu público…

FILME: 8.0

35

12 comentários em “Juno

  1. a trama do filme pode ser simples como tenho ouvido falar,porém o sarcasmo,a ironia e o humor fino marcam todo o filme.

    a trama de Juno representa o dia a dia de cada um,as dificuldades e desafios e como vamos levar a vida.

    sou da teoria que o oscar não vale nada. os grandes filmes,eventualmente passam por ele. temos que pensar nisso em pessoal?

  2. e superrr !!!!!!!!!!!!!!
    fiz um trabalho de escola e tirei 10!!!!
    aeee JUNO

  3. Realmente, esse filme apresenta uma trama bem simples mas com um roteiro inteligente e que consegue conquistar a platéia através da ótima interpretação da protagonista.
    Um filme cheio de referências pop, que deve agradar em cheio quem identificá-las, além de ter uma trilha sonora sofisticada.
    Na minha opinião, as indicações são merecidas, é um filme cativante.

  4. vi o filme e é simplesmente sensacional, roteiro espetacular, trilha sonora nao vou nem falar pq se nao vou passar horas aqui.

    comparacao com lms, so se for no orcamento do filme.

    sei que as chances de levar o oscar sao pequenas mas to torcendo muito e se nao leval em roteiro original vou ficar muito puto, como ja fiquei diversas vezes no oscar

  5. Gostei do filme, boas atuações, boa direção, trilha sonora e claro, otimo roteiro.

    Nota 9 para esta fita.

  6. caraca, que coisa, essa comparação com miss sunshine sempe foi alvo dos comentários que já li a respeito do filme e achava que se tratava mesmod e uma cópia ou algo parecido ao filme … que bom que vc esclareu isso, pois já vou menos despreocupado em assitir algum rotulo… algo copiado nos cinemas…
    e quando ao diretor, curti muto o trabalhod ele em Obrigado Por Fumar… por isso já achava estranhoe ssas comapraçoes com miss sunshine já qeu o estilo dele é bem memso oq eu vc defniu no seu comentário…
    ninguem dá muito por esse fime no oscar, pelo menos foi o que li até agora, mas tbm os mesmo qeu falam isso juravam de pe junto que não iria concorre ao premio principal, o de mlhor filme, então… pode haver ua garnde zebra no oscar deste ano, se bem que não é muito a cara dos velhões lá da academia, mas resta esperar algo novo, rs…
    abraços

  7. Gostei de sua crítica, foi realmente esclarecedora. Otavio, sem querer ser chato nem nada, mas o Matheus falou ali que os filmes (“Juno” e “LMS”) são totalmente diferentes – a única comparação foi justamente nessa questão de ser a comédia independente do ano que foi indicada ao Oscar. Torço muito pelo filme mesmo sem ter visto, espero que corresponda às expectativas (devo ver nessa semana).

    Abraço!

  8. Não tem nada a ver com LITTLE MISS SUNSHINE… só pq é um filme simples e passado nos dias de hoje? Não entendo a comparação… sorry.

    Que filme sensível e maravilhoso! Melhor que as “obras-primas” que a crítica americana empurrou para o Oscar deste ano!

    Abs!!

  9. Matheus, também não entendo a indicação obtida pelo Jason Reitman, até porque, no lugar dele poderiam estar Sidney Lumet, Ridley Scott ou Joe Wright.

    Sobre “Juno”: as comparações com “Pequena Miss Sunshine” são até inevitáveis, já que os dois filmes são comédias produzidas pela Fox Searchlight, mas, do pouco que li a respeito de “Juno”, não vejo essas semelhanças, até porque todos dizem que o teor do filme é muito ácido e irônico. Dizem que a personagem da Ellen Page (uma atriz talentosa mesmo, como você bem disse) é cheia de frases pesadas.

    Também acho que a maior chance do filme no Oscar 2008 é na categoria de Melhor Roteiro Original.

  10. Quero muito ver, e devo tentar ver pré-estréia também.
    Discordo quando diz que MeninaMá.com é péssimo. Trata-se de um dos melhores thrillers psicilógicos que já vi, incluindo duas soberbas performances, montagem genial e uma direção claustrofóbica. Adoro. E aguardo por Juno ansiosamente.

    Ciao!

  11. Adorei Juno, assim como adorei Pequena Miss Sunshine ano passado, acho que tenho uma queda por esse filmes mais independentes, adoro Sideways, Encontros e Desencontros, etc.
    A grande força de Juno está em seu roteiro e nas atuações, Ellen Page ótima, e Jennifer Garner rouba todas as cenas.
    E como você bem apontou um absurdo terem indicado Jason Reitman para melhor direção, que é boa, mas nada demais.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: