Encantada

Just because she has on a funny dress doesn’t mean she’s a princess. She’s a seriously confused woman who’s fallen into our laps.

Direção: Kevin Lima

Elenco: Amy Adams, James Marsden, Susan Sarandon, Timothy Spall, Patrick Dempsey, Julie Andrews (voz)

Enchanted, EUA, 2007, Comédia, 98 minutos, Livre.

Sinopse: Giselle(Amy Adams) é uma bela princesa que foi recentemente banida por uma rainha malvada de seu mundo mágico e musical. Com isso, ela agora está na Manhattan dos dias atuais, um local completamente diferente de onde vivia. Logo, ela recebe a ajuda de Robert (Patrick Dempsey), um advogado divorciado por quem se apaixona. Só que Giselle já está prometida em casamento para o príncipe Edward (James Marsden), que decide também deixar o mundo mágico para reencontrar sua amada.

Cada vez mais me convenço de que a infância está desaparecendo. Foi-se o tempo em que as crianças assistiam desenhos, brincavam com seus amigos e acreditavam em histórias mágicas. Hoje a moda é computador, videogame e televisão. Isso, além de tirar a época mais mágica da vida delas, consegue eliminar todo o espírito de imaginação que existe em suas mentes. Encantada, então, resolveu contar uma história de fantasia de forma diferente: os personagens mágicos vão parar no mundo real, em plena Nova York.

Assim, o público-infantil-sem-infância fica mais motivado a acompanhar essa história, porque ela não se passa em grandes castelos ou florestas encantadas, e sim nas ruas da cidade. O filme, de certa forma, seguiu as tendências do público e se deu conta de que a época infantil e imaginativa já acabou. É hora de mudar. Essa idéia original só fica na proposta, uma vez que Encantada segue vários tipos de clichê (temos até troca-troca de casais) e não consegue se desprender das previsibilidades típicas de histórias mágicas. O roteiro é até meio chatinho e repetitivo, mas ainda assim muito agradável. É louvável essa idéia da Disney, que resolveu lançar esse filme no ano em que se comemora o aniversário de A Branca de Neve e os Sete Anões, primeira animação do estúdio.

O verdadeiro acerto do filme é Amy Adams, não tem como negar. Depois de chamar a atenção com seu carisma em Retratos de Família (que lhe rendeu uma indicação ao Oscar de atriz coadjuvante), ela foi a escolha perfeita para protagonizar Encantada. Não apenas por causa de sua beleza e de sua fisionomia angelical, mas por causa da sua naturalidade e espontâneidade que se revelam a cada minuto do filme. Ela está sendo considerada uma aposta para as indicações do Oscar de Melhor Atriz, mas não creio que deva ser indicada. Não achei que seu par romântico (o James Marsden, que recentemente fez Hairspray) combinou muito.

O resto do elenco ainda inclui Timothy Spall – sempre fazendo o típico papel do gordinho feio e atrapalhado – e Susan Sarandon, que mal aparece. Já que Amy não tem tantas chances na premiação da Academia, aposto minhas fichas na música “That’s How You Know”, que é muito divertida e transmite todo o espírito que o filme quer passar para o espectador. Encantada é uma boa diversão, inofensiva e agradável. Não é uma inovação, mas ao menos consegue ser diferente. Infelizmente, não apreciei tanto como a maioria.

FILME: 6.5


3 comentários em “Encantada

  1. Esse ainda não vi, pelo mesmo motivo do Wally – a questão da dublagem (vejo muitos filmes dublados, mas um musical não dá, né?). De qualquer forma devo ver antes de saírem os indicados ao Oscar, afinal a Amy Adams tem tudo para conseguir essa vaga entre as melhores atrizes.

    Abraço!

  2. Ainda não vi o filme, mas só porque me recuso a ver dublado, como voce já sabe. Eu sempre me surpreendi quando via que Amy Adams seria uma aposta para o Oscar, e até hoje não acredito muito, mas como disse, ainda não vi o filme, e posso estar precipitado, afinal, adorei ela em Junebug (Retratos de Família).

    Espero porém, gostar mais que voce. Irei investigar se está passando legendado aqui mais a fundo.

    Ciao!

  3. Discordo de você, Matheus, em dois pontos do seu texto:

    – Amy Adams merece e chegará a uma indicação ao Oscar de Melhor Atriz.

    – James Marsden está perfeito como o Príncipe e tem uma boa sintonia com Amy Adams.

    No mais, acredito que, além da performance de Amy Adams, a graça de “Encantada” é o contraste que o roteiro do filme faz entre os valores das princesas de contos de fadas (que são românticas, ingênuas e sonhadoras) com os valores vistos no nosso mundo real. Giselle só nos lembra o quanto é legal ter um pouco de magia em nossas vidas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: